Pesquisa

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Segundo dia: 15º dia da Contagem do Ômer - Guevurá de Tiferet - Disciplina na Compaixão

Segundo dia:
15º dia da Contagem do Ômer

Conte esta noite: "Hoje são 16 dias que perfazem 2 semanas e 2 dias do ômer."

Guevurá de Tiferet

Disciplina na Compaixão

Para que a compaixão seja eficaz e saudável, necessita ser disciplinada e dirigida. É preciso discrição, tanto a quem você expressa compaixão, como na quantidade da própria compaixão. Pode-se reconhecer quando a compaixão deve ser mostrada e quando deve ser refreada ou limitada. A disciplina na compaixão é saber que ser verdadeiramente compassivo às vezes requer que se refreie a compaixão, porque compaixão não é uma expressão daquele que concede, mas uma resposta às necessidades de quem recebe.

Sou mais compassivo com estranhos que com as pessoas próximas? Caso seja, por que?
A compaixão vem da culpa?
Minha compaixão pelos outros compromete minhas próprias necessidades?
Estou ajudando os outros e deixando de ajudar a mim mesmo?
Talvez o caso seja exatamente o contrário: minha compaixão por minha família e os que me rodeiam supera as necessidades dos outros?
Minha compaixão é impulsiva e descuidada?
Consigo avaliar a medida de compaixão necessária para uma determinada situação?
Está de acordo com as necessidades de quem recebe?
Será que estou magoando o outro com minha compaixão?
Minha compaixão esmaga as pessoas? É respeitosa?
Costumo dar a mais ou a menos?
As outras pessoas aproveitam-se de minha natureza compassiva?
Quando vejo uma pessoa necessitada, expresso compaixão impetuosamente por sentir-me culpado ou com pena, sem qualquer discrição?
Cometo o "crime" da compaixão, ajudando alguém com algo prejudicial (dando-lhe dinheiro para comprar alguma substância prejudicial, etc.)?
Faço tudo o que está ao meu alcance para determinar as necessidades da pessoa e ajudá-la da melhor maneira possível?
Exercício para o dia:
Expresse sua compaixão de maneira evidente e construtiva, dirigindo-a às necessidades específicas de alguém.

http://www.chabad.org.br/datas/sefirathaomer/stiferet.htm

Maria Elisete
Shalom...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

MÃE DIVINA





Minha mãe minha rainha
Foi ela que me entregou
Para mim ser jardineiro
No jardim de belas flores
No jardim de belas flores
Tem tudo que procurar
Tem primor e tem beleza
Tem tudo que Deus me dá
Todo mundo recebe
As flores que vêm de lá
Mas ninguém presta atenção
Ninguém sabe aproveitar
Para zelar este jardim
Precisa muita atenção
Que as flores são muito fina(s)
E não podem cair no chão
O jardim de belas flores
Precisa sempre aguar
Com as prece(s) e os carinhos
Ao nosso pai universal

- Mestre Irineu-






OM - BHUR BHUVA SWAH
TAT SAVITUR VARENAYAM
BHARGO DEVASYA DHIMAHI
DHIYO YO NAH PRACHODAYAT

Em um mundo melhor,
a lei natural é a do amor.
Em uma pessoa melhor,
sua natureza também é amorosa.
O amor é o princípio
que cria e sustenta as relações humanas,
O amor espiritual leva ao silêncio,
e esse silêncio tem o poder de unir,
orientar e liberar as pessoas.
E mais, quando o seu amor é aliado à fé,
cria uma forte estrutura para a iniciativa e a ação.
Lembre-se: o amor é um catalisador para mudanças,
desenvolvimento e conquistas.

Por Brahma Kumaris






Encontre mais músicas como esta em Portal Arco Íris-Núcleo de Integração e Cura Cósmica