Pesquisa

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Explicação das Imagens do Buda



As imagens do Buda gordo surgiram durante a dinastia Sung (960 -1275) na China.

 Estas imagens do Buda sofrem muitas críticas por alguns budistas que dizem que Sidarta Gautama, o Buda, não era gordo. Estes budistas lutam pelo que acreditam ser correto.

 As imagens do Buda gordo representam a fortuna interior e a prosperidade para o bem. Se pensarmos assim essas imagens poderiam representar como uma luva Sidarta Gautama, o Buda, fundador do Budismo, pois ele atingiu o nirvana e o Budismo é uma das maiores religiões do mundo.

 A realidade não é só externa como interna também.

 Porém existem ainda budistas que dizem que o Buda gordo foi um monge budista chinês e outros que é Maitreya, o Buda que reencarnará quando todos os ensinamentos de Sidarta Gautama forem esquecidos.

 As imagens do Buda gordo são as mais conhecidas, mais usadas e mais vendidas do Buda e também existem inúmeros tipos destas imagens tanto em esculturas como em pinturas.
 
 

A imagem do Buda esquelético, de tão magro, teve sua origem no Paquistão por causa de um trecho de algumas histórias da vida de Sidarta Gautama, o Buda. O Pai do Buda era rei e vedou seu filho de conhecer a realidade do mundo fora dos muros do palácio, até certo dia em que o filho do rei conseguiu conhecer a realidade fora dos muros do mesmo e então resolveu fugir do ambiente que conhecia desde o nascimento. O filho do rei viveu como um mendigo, vivendo do que as outras pessoas lhe davam. Um tempo depois decidindo encontrar sua iluminação, resolveu se juntar a um grupo de Brâmanes dedicados a uma severa vida ascética. Eles se auto mortificavam e ficavam muito tempo sem comer. Dizem alguns contos que Sidarta Gautama chegou a comer um só grão de arroz por dia e por isso ficou esquelético. Claro que o Budismo não concorda com tais práticas, pois Sidarta depois de se iluminar disse que elas não levam a iluminação. Existem diversas imagens do Buda esquelético, tanto em escultura quanto em pintura.







O Buda da cor Azul é o Buda da Medicina, seu nome é Bhaishajyaguru. Esta é uma imagem Tibetana.

A cor azul representa a estabilidade e a simultaneidade. Quando o Buda fica desta cor ele apresenta o antídoto para cada doença. Ele tira a causa e os efeitos de cada doença.

O significado dele estar na posição de Lótus, é para indicar sua vontade de vencer todas a sombras humanas, de estar de vestes monádicas é o compromisso de libertar todos os seres de seus martírios e o de estar segurando um pote, é a de segurar um pote que tem o néctar do Dharma, o remédio mais profundo que vem por meio do conhecimentos dos próprios defeitos e transforma-los, das próprias qualidades e se valorizar, do conhecimento dos outros e da prática espiritual.

Existem meditações, mantras e mandalas do Buda da Medicina.

Seu mantra para curas é:

TEYATA OM . BECATSE. 

BECATSE . MAHA BECATSE . 

RADSA SAMUNG GATE SOHA




O Buda da cor vermelha é o Buda Amitabha, que é conhecido tanto na linha Zen, Tibetana e Terra Pura, nesta ultima também é conhecida como Amidismo, devido ser baseada na fé deste iluminado vermelho.

 A cor vermelha significa purificar o karma dos desejos, mas nem sempre ele é pintado dessa cor.

 No Budismo Tibetano, Amitabha e também o Buda da Medicina tem meditações próprias, das quais é necessário receber a iniciação para fazer.

 Seu mantra é  "OM AMI DEWA HRI" que serve para desenvolver um amor infinito por todos os seres.


http://an.locaweb.com.br/Webindependente/Buddhismo/explicacaodasimagensdobuda2.htm


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

MÃE DIVINA





Minha mãe minha rainha
Foi ela que me entregou
Para mim ser jardineiro
No jardim de belas flores
No jardim de belas flores
Tem tudo que procurar
Tem primor e tem beleza
Tem tudo que Deus me dá
Todo mundo recebe
As flores que vêm de lá
Mas ninguém presta atenção
Ninguém sabe aproveitar
Para zelar este jardim
Precisa muita atenção
Que as flores são muito fina(s)
E não podem cair no chão
O jardim de belas flores
Precisa sempre aguar
Com as prece(s) e os carinhos
Ao nosso pai universal

- Mestre Irineu-






OM - BHUR BHUVA SWAH
TAT SAVITUR VARENAYAM
BHARGO DEVASYA DHIMAHI
DHIYO YO NAH PRACHODAYAT

Em um mundo melhor,
a lei natural é a do amor.
Em uma pessoa melhor,
sua natureza também é amorosa.
O amor é o princípio
que cria e sustenta as relações humanas,
O amor espiritual leva ao silêncio,
e esse silêncio tem o poder de unir,
orientar e liberar as pessoas.
E mais, quando o seu amor é aliado à fé,
cria uma forte estrutura para a iniciativa e a ação.
Lembre-se: o amor é um catalisador para mudanças,
desenvolvimento e conquistas.

Por Brahma Kumaris






Encontre mais músicas como esta em Portal Arco Íris-Núcleo de Integração e Cura Cósmica