Pesquisa

sábado, 16 de novembro de 2013

Tome refúgio na Mãe Terra

 
 
Tome refúgio na Mãe Terra
 
Nossa sociedade não está muito saudável. Por isso, muitos estão doentes e nós precisamos de cura e nutrição. Temos nos embriagado com venenos. Nossa mente tem  muitos venenos como a ganância, ódio, raiva e desespero. Nosso corpo também tem muitos venenos, porque não sabemos como consumir.
 
A Mãe Terra tem a capacidade de curar a si mesma e tem a capacidade de nos ajudar a nos curarmos se soubermos nos refugiarmos nela. Quando o Buda estava ensinando seu filho Rahula, ele falou sobre a Terra como tendo as virtudes da paciência e equanimidade. Paciência e serenidade são as duas grandes virtudes do planeta Terra. Se necessário, a Mãe Terra pode gastar um milhão ou dez milhões de anos para curar a si mesma. Ela não está com pressa. Ela tem o poder de renovar a si mesma. Temos que ver isso. Se estudarmos a história da Terra, saberemos que ela teve muita paciência.
 
Quando andamos, estamos conscientes de que a Terra está segurando os nossos passos. Mas a Mãe Terra não está logo abaixo de nós, sob os nossos pés, a Mãe Terra está dentro de nós. Pensar que a Mãe Terra é apenas o ambiente fora de nós, ao nosso redor, está errado. A Mãe Terra está dentro de nós. Nós não precisamos morrer para voltar para a Mãe Terra. Já estamos na Mãe Terra. É por isso que nós temos que aprender a nos refugiarmos nela. Essa é a melhor maneira de nos curarmos e nos alimentarmos.
 
A meditação andando é uma das maneiras de curar. A meditação andando é bem sucedida quando sabemos como permitir que a Terra esteja em nós e ao nosso redor. Só esteja consciente de que somos a Terra. Nós não temos que fazer muito, não temos que fazer coisa alguma para obter a cura e nutrição. É como no ventre de nossa mãe, quando nós não tínhamos que respirar, não tínhamos que comer, porque nossa mãe respirava por nós e comia por nós. Nós não precisávamos nos preocupar com nada. É possível se comportar da mesma maneira agora.
 
Quando você se sentar, permita que a Mãe Terra sente-se por você. Quando você respirar, permita que a Mãe Terra respire por você. Quando você andar, permita que a Mãe Terra caminhe por você. Não faça nenhum esforço. Permita que ela faça isso. Ela sabe como fazê-lo.
 
Quando você está sentado, permita que o ar entre nos seus pulmões. Deixe o ar sair dos pulmões. Nós não precisamos tentar inspirar. Nós não precisamos tentar expirar. Nós só permitimos que a natureza, que a Terra, inspire e inspire por nós. Nós apenas sentamos e apreciamos a inspiração e a inspiração. Não há "você" que está inspirando e expirando. A inspiração e a expiração acontecem por si só. Experimente.
 
Nós permitimos que o nosso corpo relaxe totalmente, sem lutar ou mesmo se esforçar. Comporte-se como o feto no útero da mãe. Permita que a sua mãe faça tudo por você, respirar, comer, beber. Isso é possível se você souber como se refugiar na Mãe Terra. Ela é uma grande bodhisattva, ela é a mãe de todos os budas, todos os bodhisattvas, todos os santos. Shakyamuni é seu filho. Jesus Cristo também é seu filho. Nós também somos seus filhos e filhas, e temos que aprender a nos refugiar nela e permitir que ela continue a fazer tudo por nós.
 
Nós não precisamos fazer nada. Apenas permita-se estar sentado, deixe a sessão de meditação acontecer. Se você não se esforçar para se sentar, o relaxamento virá. E sabe de uma coisa? Quando ocorre um relaxamento, a cura começa a acontecer. Não há cura sem relaxamento. Relaxamento significa não fazer nada, não tentar.
 
Assim, enquanto acontece a inspiração, não é você que está inspirando. Enquanto acontece a expiração, você apenas se diverte. Você diz, "Cura está ocorrendo; cura está ocorrendo". Permita que o seu corpo se renove, para se curar, para ser nutrido. Esta é a prática da não prática.
 
Se observarmos, veremos que a Mãe Terra tem o poder, a capacidade de curar-se e curar-nos. Você acredita neste poder, o poder que vem de sua própria observação, da sua própria experiência e não de algo que as pessoas te dizem e te pedem para acreditar. A Mãe Terra pode renovar-se, pode transformar-se, pode curar-se, e pode nos curar. Isso é um fato. Se reconhecermos esse fato, a fé está lá, e poderemos tomar refúgio. Nós nos permitimos ser curados pela Mãe Terra. Ao sentarmos, temos a cura. Enquanto caminhamos, temos a cura. Enquanto respiramos, nós temos a cura. Nós não temos que fazer nada. Apenas nos rendemos à Mãe Terra e ela vai fazer tudo.
 
Quando a respirando está acontecendo - eu não quero dizer quando você está inspirando - você diz, "nutrição está ocorrendo; nutrição; nutrição." Permita-se ser nutrido. Você é alimentado pelo ar, você é alimentado pela luz do sol, porque o ar está te respirando, te penetrando. E o sol também penetra em você. Pai Sol e a Mãe Terra estão lá 24 horas por dia para nós. Mesmo durante a noite, o sol está presente, de outro modo, congelaríamos. Assim como a Mãe Terra, o Pai Sol também está em nós, não só lá em cima, fora de nós. Quando escrevi "O Sol meu coração", eu tive o insight, a visão, de que o sol é o meu coração fora de mim.
 
Se conhecemos a prática da não-prática, não temos de lutar ou brigar, a fim de praticar. Você pode acreditar que precisa de um monte de remédio, muitos exercícios para se curar. Mas o único exercício que pode curá-lo é o exercício do não-exercício. Permita-se relaxar e liberar toda a tensão em seu corpo, todas as preocupações e o medo de sua mente, porque essas coisas estão te impedindo de se curar. Deixe ir, libere, refugie-se completamente na Terra e no Sol, e permita-se ser curado. Faça isso nas quatro posições: sentado, deitado, andando, de pé. Permita que a Mãe Terra e o Pai Sol penetrem em você, agindo por você para que você possa curar-se.
 
É nossa experiência que a cura não é possível, sem soltar, relaxar. Então, quando você sentar, sente de tal maneira que você não tenha que tentar, você simplesmente desfruta profundamente de sua sessão. Nada para fazer, nenhum lugar para ir. Eu só aproveito minha sessão. Meia hora sentando-se assim, você tem meia hora de cura. Você gosta de cada inspiração. Não é você quem está fazendo a inspiração e expiração. Você não tem que fazer uma inspiração e uma expiração. Isso vai acontecer por si só.
 
A inspiração não precisa de um eu, a fim de acontecer. Eu não tenho que respirar, a respiração simplesmente acontece por si só. Eu só desfruto. Se eu sei como aproveitar a respiração, a respiração se torna mais agradável. A qualidade da respiração vai aumentar, porque eu não tento interferir e forçá-la.
 
Assim, a sessão deve ser natural, sem esforço. A respiração também e a caminhada também. Não tente caminhar, basta permitir-se andar. A caminhada acontecerá sem você. Só estar lá e desfrutar, porque se houver desapego e relaxamento, cada passo é a cura,  cada passo é nutritivo. Nenhuma cura é possível, sem relaxamento e desapego.
 
Devemos praticar esta coisa simples, a fim de sermos curados e para ajudar a curar a nossa sociedade e o mundo. Se você fizer isso por uma hora, terá uma hora de cura. Se você fizer isso por um dia, haverá um dia de cura. Isto é possível. Torne a prática agradável, torne-a curativa e nutritiva. Tudo o que você fizer, não tente, não faça nenhum esforço. Refugie-se na Mãe Terra. Ela saberá como fazê-lo. Ela continua a fazê-lo para você, assim como no tempo em que você estava no ventre de sua mãe.
 
Fonte:Palestra de Dharma de Thich Nhat Hanh
 
Maria Elisete Shalom...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

MÃE DIVINA





Minha mãe minha rainha
Foi ela que me entregou
Para mim ser jardineiro
No jardim de belas flores
No jardim de belas flores
Tem tudo que procurar
Tem primor e tem beleza
Tem tudo que Deus me dá
Todo mundo recebe
As flores que vêm de lá
Mas ninguém presta atenção
Ninguém sabe aproveitar
Para zelar este jardim
Precisa muita atenção
Que as flores são muito fina(s)
E não podem cair no chão
O jardim de belas flores
Precisa sempre aguar
Com as prece(s) e os carinhos
Ao nosso pai universal

- Mestre Irineu-






OM - BHUR BHUVA SWAH
TAT SAVITUR VARENAYAM
BHARGO DEVASYA DHIMAHI
DHIYO YO NAH PRACHODAYAT

Em um mundo melhor,
a lei natural é a do amor.
Em uma pessoa melhor,
sua natureza também é amorosa.
O amor é o princípio
que cria e sustenta as relações humanas,
O amor espiritual leva ao silêncio,
e esse silêncio tem o poder de unir,
orientar e liberar as pessoas.
E mais, quando o seu amor é aliado à fé,
cria uma forte estrutura para a iniciativa e a ação.
Lembre-se: o amor é um catalisador para mudanças,
desenvolvimento e conquistas.

Por Brahma Kumaris






Encontre mais músicas como esta em Portal Arco Íris-Núcleo de Integração e Cura Cósmica