Pesquisa

terça-feira, 18 de janeiro de 2011






Ave Maria

Mãe das estrelas

Mãe do céu


Alma doce da natureza

Oh seiva viva que nutre esse chão

Dá a tua luz

A tudo que vive e respira

Leva a dor do coração


Ohh doce mãe estende teu manto

Essa terra que tanto precisa de ti

Tranforma os corações dos homens

Para que o paraiso aconteça aqui








''QUE TODOS OS SERES DE TODOS OS MUNDOS ,SEJAM FELIZES EM BEM AVENTURADOS!!! PAZ, PAZ, PAZZZ


Amém....


Eu sou Maria Elisete vossa irmã

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

5 RITOS TIBETANOS



5 RITOS TIBETANOS

Os ritos tibetanos formaram um conjunto de exercícios físicos
com concentração, praticado nos altos Himalaias.
Foram descobertos pelo ocidente em 1939 e praticados hoje por todo o planeta.
Seus movimentos estimulam os Chakras e a todo o sistema gandular
com contração e alongamento. A prática é simples mas eficaz.
Não se necessita muito tempo e em poucos dias já se notam
beneficíos físicos e energéticos. Se possível faça no inicio 3 repetições
de cada movimento do rito e vá aumentando a cada semana até chegar
a 21 repetições de cada movimento.
Todo movimento se inicia com inspiração e contração das nádegas,
e após o ápice do movimento, vá soltando o ar, voltando a posição inicial.
Todos os exercicíos devem ser feitos com muita concentração e consciência corporal.
A dor é sinal de que algum movimento está errado.
Ouça uma boa música!!!


RITO 1

Fique em pé, com os braços na horizontal, e gire, num círculo completo, todo o corpo no sentido horário [sentido dos ponteiros de um relógio que estivesse nos seus pés]. Para diminuir a tontura, procure fixar o olhar em um ponto fixo, o máximo que puder, durante o giro. Diminuir a velocidade de giro do corpo também ajuda a diminuir a tontura. Descanse até sumir a tontura, antes de ir para o Rito 2.

RITO 2
Deite de costas no chão, estenda os braços ao longo do corpo e vire as palmas das mãos para baixo, mantendo os dedos fechados. Então, erga a cabeça do chão, encostando o queixo no peito. Ao mesmo tempo, vá levantando as pernas, com os joelhos retos, até ficarem na vertical. Se possível, deixe as pernas descerem um pouco para trás, ficando sobre a cabeça, mas não dobre os joelhos. Depois, vagarosamente, abaixe a cabeça e as pernas, mantendo os joelhos firmes e retos, até voltar à posição inicial. Deixe os músculos relaxarem um pouco e depois repita o rito. Ao repeti-lo, vá estabelecendo um ritmo mais lento para sua respiração. Inspire profundamente quando estiver levantando as pernas e a cabeça, e exale ao descê-las. Inspire e exale sempre pelo nariz. Entre as repetições, no relaxamento, continue respirando no mesmo ritmo. Quanto mais profundas as respirações, melhor.

RITO 3
Ajoelhe-se no chão com o corpo ereto e os braços estendidos paralelamente ao corpo. As palmas das mãos devem ficar encostadas na lateral das coxas. Incline a cabeça para a frente, até o queixo tocar o peito. Depois, atire a cabeça para trás, o máximo possível e, ao mesmo tempo, incline-se para trás, arqueando o corpo. Nesse movimento você se escorará nas mãos que se apóiam nas coxas. Feito isso, volte à posição original e comece de novo o rito. Como no Rito 2, você deve estabelecer uma respiração ritmada. Inspire profundamente quando arquear a espinha para trás e exale ao voltar à posição ereta. A respiração profunda é extremamente benéfica, porisso encha os pulmões o máximo que conseguir.

RITO 4
Primeiro, sente-se no chão com as pernas estendidas para a frente, deixando uma distância de uns quarenta centímetros entre os pés. Mantendo o corpo ereto, coloque as palmas das mãos no chão, voltadas para frente, ao lado das nádegas. Depois, incline a cabeça, fazendo o queixo tocar o peito. Em seguida, incline a cabeça para trás o máximo possível. Ao mesmo tempo, erga o corpo de modo que os joelhos dobrem enquanto os braços permanecem retos. O tronco e as coxas deverão ficar retos e alinhados horizontalmente em relação ao chão; os braços e as canelas estarão em posição perpendicular ao chão. Então, tensione todos os músculos do corpo que puder. Por fim, relaxe ao voltar à posição inicial e descanse antes de repetir este rito. Uma vez mais, a respiração é importante. Inspire profundamente ao elevar o corpo, segure a respiração durante o tensionamento dos músculos e exale completamente enquanto volta à posição inicial. Continue respirando no mesmo ritmo no intervalo entre as repetições.

RITO 5
Deite-se de bruços no chão. Em seguida, erga o corpo, apoiando-se nas palmas das mãos e dedos dos pés, que deverão ficar flexionados. Durante todo o rito, mantenha uma distância de cerca de 40 centímetros entre os pés e entre as mãos. Mantendo pernas e braços retos, arqueie a espinha e leve a cabeça para trás o máximo possível. Depois, dobrando-se nos quadris, erga o corpo até ele ficar como um 'V' invertido. Ao mesmo tempo, encoste o queixo no peito. Volte à posiçao inicial e repita o rito. Tensione os músculos por um instante, tanto no ponto mais alto como no mais baixo. Siga o mesmo padrão de respirações profundas e lentas que usou nos outros ritos. Inspire ao erguer o corpo, em V, e exale quando o abaixar. Lembre-se de que você só volta à posição inicial - deitado de bruços no chão - quando tiver completado todo o ciclo de repetições.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Amado Prof. Hermógenes e... - nos fala de Bhagavan Sai Ram



“Tudo na vida humana não se resume em comida, bebida, sono, morte.

Há objetivos mais altos que temos que alcançar em vida. Antes da morte do corpo, temos que cumprir o propósito verdadeiro para o qual viemos a este planeta.

Deveríamos resgatar nossa vida nos engajando no serviço aos outros.

Você não é o corpo.

O corpo é só o instrumento e o meio para alcançarmos algo mais alto e nobre…

Tendo nascido como seres humanos devemos dedicar as nossas vidas ao serviço e à contemplação constante de Deus.


Eu estou preparado para fazer qualquer coisa para servir a humanidade.

Eu estou preparado até mesmo para sacrificar a Minha Vida.

Semelhantemente você também deve estar sempre pronto para servir os outros…

Sempre que seus serviços sejam solicitados você deve responder imediatamente: eu estou pronto; eu estou pronto; eu estou pronto.

Desenvolva essa coragem e confiança e escolha um ideal para o mundo.

Utilize todas as pequenas oportunidades para servir o país e a sociedade.


Até mesmo uma pequena ajuda a uma mulher idosa desconhecida que cruza seu caminho é serviço.
Não pense nunca:

‘O que ganho ajudando esta mulher?

’. Há grande mérito mesmo neste pequeno serviço. Então, continue servindo. Não há mérito maior que servir os seus irmãos, os seres humanos.

Não há redenção sem serviço.”


Sai Baba nasceu em 23 de novembro de 1926, na pequena cidade de Puttaparthi, ao Sul da Índia, com o nome de Sathya Narayana Raju.

Desde antes do seu nascimento já começaram a acontecer fatos estranhos.

No dia do seu nascimento sua mãe descobriu uma serpente embaixo dos panos de seu berço, onde ele estava dormindo.

Para os hindus, a cobra é um símbolo da Divindade e representa Sesha Naga, a serpente sagrada sobre a qual o Senhor Narayana (uma das formas de Vishnu, o aspecto Preservador de Deus) está deitado e flutua no “oceano de leite”, que simboliza a Mente Cósmica, da qual emana toda a Criação.

Apesar de seus pais não serem vegetarianos, ele adotou desde pequeno uma alimentação sem carne. Sua conduta era tão especial que logo começou a ser chamado de “o menino brahmin”.

Cada vez que um mendigo chegava à sua casa, o menino corria para lhe oferecer alimento.

Ninguém podia fazer nada para impedi-lo de ajudar. Se o repreendiam, caía em profundo pranto.

Continuava dando de comer aos pobres, mesmo que tivesse que ceder seu próprio alimento por vários dias.

Preocupada com os períodos que ele passava sem comer, a mãe só recebia do menino um sorriso e o comentário de que “já havia comido”.

Ele dizia que um misterioso visitante o alimentava.

E estendia sua mão para que sua mãe pudesse sentir o cheiro de leite, manteiga clarificada e coalhada.

Na escola reunia os amigos em frente a uma imagem divina, para a qual realizava os rituais de adoração, encerrando-os com a distribuição do Prasada (alimento abençoado) que tirava de uma bolsa vazia.

Quando lhe perguntavam como fazia isto, respondia que um certo Grama Shakti (espírito) obedecia à sua vontade e lhe dava tudo o que ele queria.

Aos 14 anos foi picado por um escorpião.

Ficou dois dias inconsciente, e quando acordou, começou a comportar-se de maneira estranha.

Um feiticeiro foi chamado, e submeteu o garoto aos mais dolorosos processos pra tirar espíritos.

Os pais então desistiram de tentar “curá-lo”, e após um tempo ele manifestou todo o seu potencial, apresentando-se como Sai Baba.


Vocês acreditam em metempsicose?

De um lado, o urso-do-cabelo-duro. Do outro, Sai Baba.

Agora me digam: isso foi uma sacanagem da Hanna Barbera ou é uma daquelas coincidências assustadoras?

É considerado na Índia um Avatar, uma Encarnação Divina em forma humana vivendo entre nós (assim como Jesus e Buda).

A alma nasce neste mundo e viaja através dos reinos da experiência sensorial para adquirir a consciência de Deus
(Sathya Sai Baba)

Na 14ª edição dos discursos do Profeta Mohammad (Maomé), que leva o título de O Oceano da Luz, um Avatar é chamado de MEHEDIMOUD que, em árabe, quer dizer “o Aos 14 anos foi picado por um escorpião.

Ficou dois dias inconsciente, e quando acordou, começou a comportar-se de maneira estranha.

Um feiticeiro foi chamado, e submeteu o garoto aos mais dolorosos processos pra tirar espíritos.

Os pais então desistiram de tentar “curá-lo”, e após um tempo ele manifestou todo o seu potencial, apresentando-se como Sai Baba.


Vocês acreditam em metempsicose?

De um lado, o urso-do-cabelo-duro. Do outro, Sai Baba.

Agora me digam: isso foi uma sacanagem da Hanna Barbera ou é uma daquelas coincidências assustadoras?

É considerado na Índia um Avatar, uma Encarnação Divina em forma humana vivendo entre nós (assim como Jesus e Buda).

A alma nasce neste mundo e viaja através dos reinos da experiência sensorial para adquirir a consciência de Deus
(Sathya Sai Baba)

Na 14ª edição dos discursos do Profeta Mohammad (Maomé), que leva o título de O Oceano da Luz, um Avatar é chamado de MEHEDIMOUD que, em árabe, quer dizer “o Aos 14 anos foi picado por um escorpião.

Ficou dois dias inconsciente, e quando acordou, começou a comportar-se de maneira estranha.

Um feiticeiro foi chamado, e submeteu o garoto aos mais dolorosos processos pra tirar espíritos.

Os pais então desistiram de tentar “curá-lo”, e após um tempo ele manifestou todo o seu potencial, apresentando-se como Sai Baba.


Vocês acreditam em metempsicose?

De um lado, o urso-do-cabelo-duro. Do outro, Sai Baba.

Agora me digam: isso foi uma sacanagem da Hanna Barbera ou é uma daquelas coincidências assustadoras?

É considerado na Índia um Avatar, uma Encarnação Divina em forma humana vivendo entre nós (assim como Jesus e Buda).

A alma nasce neste mundo e viaja através dos reinos da experiência sensorial para adquirir a consciência de Deus
(Sathya Sai Baba)

Na 14ª edição dos discursos do Profeta Mohammad (Maomé), que leva o título de O Oceano da Luz, um Avatar é chamado de MEHEDIMOUD que, em árabe, quer dizer “o grande mestre prometido”.
Assim o Profeta o descreveu em suas profecias:

“Seus cabelos serão espessos, sua fronte será alta e côncava, seu nariz será pequeno com uma ligeira curva, seus dentes da frente serão abertos entre si, não terá barba, mas estará sempre perfeitamente barbeado, terá um sinal lunar na face esquerda, sua vestimenta terá a cor do fogo e usará sempre duas, uma sobre a outra (Sathya Sai Baba usa sempre o “dothi” sob Sua túnica de cor laranja).

A cor de seu rosto mudará com freqüência e será luzidia como o bronze, amarela como o ouro, radiante como a lua.

Seu corpo será pequeno e Seu ventre será mais evidente com o passar dos anos.

Todos os ensinamentos das religiões do mundo estarão em Sua mente e em Seu coração, desde o nascimento.

Todas as coisas pedidas a Deus por Seus devotos, o Mestre do mundo as concederá.

Todos os tesouros do mundo estarão a Seus pés.

Ele presenteará com objetos que terão a forma da luz.

Seus devotos se reunirão debaixo de uma árvore. Ele se aproximará de Seus devotos colocando Sua mão sobre a cabeça de cada um deles e, poder vê-Lo, os fará bastante felizes.
Ele sairá desta Terra aos 95 anos”.

Mohammad diz ainda que o Avatar viverá sobre uma pequena colina (o ashram de Puttaparthi, onde Sai Baba vive, está situado sobre uma pequena colina).

E, concluindo sua profecia, esclarece que, para que as pessoas não se deixem enganar, o Avatar fará sair objetos de Suas mãos.

Sejam seu próprio Guru, seu próprio mestre, a lâmpada existe dentro de vocês mesmos.
Acendam-na e prossigam sem temor.


Sathya Sai Baba realiza há mais de 50 anos inumeráveis materializações de objetos, principalmente grandes quantidades de uma cinza, chamada Vibhuti, que é distribuída para todos e

Vibhuti
alegadamente tem poderes curativos. Pode parecer coisa de falsos profetas, que enganam as pessoas com impressionantes efeitos físicos, mas Sai Baba é o primeiro a dizer:
“Meus milagres são meus cartões de apresentação.

Dou às pessoas o que elas querem, para que mais tarde me dêem o que eu quero: o seu amor a Deus”.

Lá em Campina Grande soube de duas histórias de pessoas que foram visitar Sai Baba.
A primeira é a de um bebê que gostava de ingerir o Vibhuti. Diariamente ela comia um pouquinho.

Hoje ela já é adulta e permanece a mesma quantidade de cinzas no potinho (?).

A segunda é mais perturbadora:
Em uma excursão que saiu do Brasil, um dos integrantes perdeu seu relógio de ouro inglês.

Óbvio que ele ficou P da vida e nem teve ânimo pra ficar junto das outras pessoas que foram ver de perto Sai Baba.

Só que, no meio daquele concorrido evento, Sai Baba pede pra falar exatamente com o cara.

Surpreso, ele vai até lá e Sai Baba lhe pergunta se ele perdeu o relógio.

A pessoa diz que sim, e Baba retira do manto um relógio igualzinho, só que novo.

O cara, incrédulo (e desconfiado) diz que não pode aceitar, pois não poderia passar pela alfândega do aeroporto sem a nota desse relógio.

Então Sai Baba retira do manto uma nota fiscal de uma loja inglesa. Ainda mais desconfiado, o cara resolve, no outro dia, ir para a Inglaterra, atrás dessa loja.

Ela de fato existia, e ao ser questionado sobre a venda do relógio, o vendedor disse que ontem (na mesma hora em que o rapaz estava falando com Sai Baba) veio um homem esquisito, do cabelo grande, comprar o relógio.

E que quando saiu, parou e voltou para pedir a nota fiscal.

Esse fenômeno é conhecido como bi-locação (com tracinho, pra não virar sacanagem).

Não é exclusivo de Avatares, mas é bastante raro. Vários santos da Igreja apresentaram esse fenômeno, como o Padre Pio, São Bento, São Francisco e outros.

Avatar ou não, um homem se julga por suas obras.

Jesus mesmo disse que “Quem não é comigo, é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha”.

Sai Baba investe pequenas fortunas em saneamento na Índia, África e outros países de terceiro mundo, com escolas e creches onde, além do ensino básico, é ensinado valores espirituais independentes da religião.

O principal objetivo da Organização Sathya Sai – que vocês devem ter sempre presente – é ajudar o homem a reconhecer a Divindade inerente nele.

Assim, é seu dever enfatizar o Uno, experimentar o Uno em tudo que façam ou digam.
Não dêem nenhuma importância às diferenças de religião ou seita, cor ou nível social.
Tenham o sentido de Unidade permeando cada um de seus atos.
(Sathya Sai Baba)

MÃE DIVINA





Minha mãe minha rainha
Foi ela que me entregou
Para mim ser jardineiro
No jardim de belas flores
No jardim de belas flores
Tem tudo que procurar
Tem primor e tem beleza
Tem tudo que Deus me dá
Todo mundo recebe
As flores que vêm de lá
Mas ninguém presta atenção
Ninguém sabe aproveitar
Para zelar este jardim
Precisa muita atenção
Que as flores são muito fina(s)
E não podem cair no chão
O jardim de belas flores
Precisa sempre aguar
Com as prece(s) e os carinhos
Ao nosso pai universal

- Mestre Irineu-






OM - BHUR BHUVA SWAH
TAT SAVITUR VARENAYAM
BHARGO DEVASYA DHIMAHI
DHIYO YO NAH PRACHODAYAT

Em um mundo melhor,
a lei natural é a do amor.
Em uma pessoa melhor,
sua natureza também é amorosa.
O amor é o princípio
que cria e sustenta as relações humanas,
O amor espiritual leva ao silêncio,
e esse silêncio tem o poder de unir,
orientar e liberar as pessoas.
E mais, quando o seu amor é aliado à fé,
cria uma forte estrutura para a iniciativa e a ação.
Lembre-se: o amor é um catalisador para mudanças,
desenvolvimento e conquistas.

Por Brahma Kumaris






Encontre mais músicas como esta em Portal Arco Íris-Núcleo de Integração e Cura Cósmica