Pesquisa

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Asato Ma Sadgamaya, shanti mantra, by Ravi Shankar and George Harrison


Assatoma Mantra - explanation Prem Baba (Sachcha Mission Brazil)


 
 
 
 
 
Assatoma Mantra - um dos tesouros entre os tantos que a tradição Sachcha tem transmitido de geração em geração. Uma das possíveis traduções é:

"Conduza-nos da mentira para verdade,
do veneno para o néctar
da morte para a imortalidade"

Assatoma Mantra - one of the many treasures among the Sachcha tradition handed down from generation to generation. One of the possible translations is:

"Lead us from falsehood to truth,
poison for nectar
from death to immortality "

"Om Assatoma Sat Gamaya
Tamassoma Jotir Gamaya
Mrityoma Amritam Gamaya"

"Do irreal guia-me ao Real
Das trevas, guia-me à Luz
Da morte, guia-me à Imortalidade"

"From the unreal lead me to the Real
From darkness, lead me to Light
From death lead me to immortality"

Áudio: Prem Baba Sachcha Mission Brazil
Vídeo: chakra do coração ahhh youtube

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

CAPÍTULO 7. Osho e o Daime - Texto do Livro Mergulho Na Luz - Autoria Júlio da Mata -



CAPÍTULO 7. Osho e o Daime - Texto do Livro Mergulho 

“O inesperado é sempre maior do que o surpreendente”
(Audição psíquica de Julio da Mata).

Há uma intensa ligação relação entre os trabalhos de meditação do mestre hindu Bhagwan Shree Rajneesh (Osho) e o Santo Da...ime. Pude comprovar este fato num trabalho.

Senti uma súbita vontade de sair da Igreja. Sem saber o porque, parei perto de uma construção chamada “Casinha das Crianças”, onde elas são assistidas durante os trabalhos. Subitamente, “o ar se rasgou” e surgiu dentro dele a figura sorridente do Osho. Ele fez um leve aceno com as mãos (unidas como que em prece) em direção à cabeça e pude perceber até o detalhe de dois frisos prateados nos punhos de sua bata negra de um tecido trabalhado. Ele disse: -Vim cumprimentá-lo porque você foi aceito em nossa Escola Iniciática! Escola Iniciática sim! O Santo Daime é uma Escola Iniciática e você foi aceito como discípulo! Vim para lhe mostrar algumas coisas que você já leu nos meus livros mas que nunca experenciou! Vou lhe mostrar que a mente é o único empecilho que impede o homem da comunhão com o divino. Ele levou o dedo indicador na minha terceira visão (é o que se chama do toque do Mestre) e ato contínuo, a minha mente simplesmente parou!...

Eu percebia tudo a minha volta mas não emitia nenhum conceito. Eu era só um observador! Um atento observador que tudo compreendia, que não comparava e que nada julgava. Ele pediu que eu tocasse a árvore à minha frente. Quando toquei a árvore eu me transformei nela. Eu era ela e ela era eu. Senti meu cabelo crescer e se transformar na copa e meus pés se enraizarem pelo chão. Percebi o movimento rítmico de sucção da seiva subindo e descendo, tal qual uma respiração. A árvore não tinha identidade. Ela era tudo. Ela era o Todo. Ela era a Terra. Era o céu e as estrelas. Ela era eu. Então o Osho me pediu que tocasse numa pequena planta que crescia perto dali junto ao Cruzeiro das Almas da Igreja. Ao aproximar a minha mão eu senti a aura dela. Não era uma energia estática como eu imaginava, era pulsante! Mas eu não sentia a aura da planta e sim a emanação do Criador vibrando naquela planta!

Neste instante surgiu um “fiscal” (elemento incumbido de manter a organização do ritual), que pediu de forma indelicada que não me demorasse fora da Igreja porque ali eu poderia “pegar um obsessor”. Que o trabalho sempre se fazia dentro da Igreja. O olhar dele em minha direção atuou de tal forma sobre mim que eu me senti “descer” ao corpo vertiginosamente com o coração em disparada. E a mente retornou. Então Osho pediu que eu dissesse ao fardado que eu já tinha sido tomado pelo pior obsessor disponível! Ele! Desejei que Osho nada dissesse. Então ele apontou para o meu coração e disse ao fiscal: - O trabalho é sempre aqui! O fardado pareceu nada entender e se retirou. Então ele me pediu que quando eu usasse uma estrela (em referência a ser um dia um fardado, um participante da Igreja), que não a usasse no peito, mas sim na testa! Osho esclarecia que apesar da estrela estar no peito ela é a estrela que brilha na consciência. Disse ainda que interrupções como a que ocorreu era uma das dificuldades necessárias que enfrenta todo aquele que se for aceito nesta Escola Iniciática.

E continuou: -Agora quero lhe mostrar as possibilidades da meditação em grupo! Ele projetou-me novamente fora do corpo e me vi pairando acima da Igreja. O telhado dela pareceu ficar transparente e vi o movimento ondulatório do bailado no centro do salão da Igreja criar um círculo de energia que pulsava em sincronismo com os hinos que eram cantados. O canto e a dança se condensavam no meio da mesa, e formavam um cipó trançado de cores azul e branca que subia até o astral superior e produziam clarões que se transformavam em fluidos resplandecentes. Por esta corrente de luz desciam benefícios aos participantes que estavam sintonizados com a luz. O Osho uniu novamente as mãos em frente a testa e com leve sorriso, “se dissolveu”.
Tempos depois chegou às minhas mãos um exemplar do livro que eu nunca lera chamado “Meditação. A Arte do Êxtase. (Editora Cultrix- Pensamento), que descrevia a meditação em grupo de modo muito semelhante ao que eu vira no trabalho.
Este fato me serviu como confirmação de que o Santo Daime é uma Escola com um Mestre vivo e não um produto de experiências acumuladas na mente.

O encontro com Osho me fez pensar muito se o Daime seria ou não um alucinógeno. Lembrava-me de um texto em que ele comentava sobre o LSD e concluía dizendo que “a realização existe quando se dá um salto, quando não se é mais a mesma pessoa, que tenha mudado conscientemente e que esta mudança venha a partir do nosso esforço”.

Ora, esta é a exata definição de um trabalho com o Santo Daime. Então conclui que o Daime não poderia ser um alucinógeno!.

Após outras experiências, eu poderia descrever melhor este estado de não mente.
NOTA DO CAPÍTULO 7: HINO EM HOMENAGEM A OSHO

Os fatos importantes vividos pelo Buscador normalmente são registrados em Hinos se o buscador já tiver esta “canalização”..

Isto aconteceu no Hino 74 do Hinário “Luz do Infinito” de Julio da Mata.

O link para audição é:

https://www.dropbox.com/s/vg84qv881zhrgd5/74-%20O%20rebelde.mp3
...
074- O REBELDE
(Dedicado ao Osho)

Bhagwan! Bhagwan! Bhagwan!
Bhagwan que nunca nasceu.
Raiou entre nós no oriente,
Iluminou o ocidente e desapareceu.

Bhagwan! Bhagwan! Bhagwan!
Bhagwan que nunca morreu.
Nos revela armadilhas da mente
Em seu olhar ardente
A chama de Deus.

Bhagwan! Bhagwan! Bhagwan!
Bhagwan no Daime eu vi.
Criativo, rebelde e moderno,
Me mostrou o eterno
E o samadhi.

Bhagwan! Bhagwan! Bhagwan!
Bhagwan com Juramidã!
Novo sannyas, real consciência,
Santo Daime
É a ciência da meditação.
https://www.facebook.com/MergulhoNaLuz

http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-641793205-livro-mergulho-na-luz-volume-1-_JM#redirectedFromParent

centroflordejasmim@gmail.com

Mantra da Felicidade! Para todos os seres de todos os mundos....




Loka Samasta Sukhino Bhavantu
''Que todos os seres, de todos os mundos sejam felizes e bem aventurados!''




O efeito deste mantra poderoso é emanar um campo de vibrações positivas para a humanidade criando uma atmosfera de paz e felicidade.




Maria Elisete Shalom...Paz, paz, pazzzzz
centroflordejasmim@gmail.com

MÃE DIVINA





Minha mãe minha rainha
Foi ela que me entregou
Para mim ser jardineiro
No jardim de belas flores
No jardim de belas flores
Tem tudo que procurar
Tem primor e tem beleza
Tem tudo que Deus me dá
Todo mundo recebe
As flores que vêm de lá
Mas ninguém presta atenção
Ninguém sabe aproveitar
Para zelar este jardim
Precisa muita atenção
Que as flores são muito fina(s)
E não podem cair no chão
O jardim de belas flores
Precisa sempre aguar
Com as prece(s) e os carinhos
Ao nosso pai universal

- Mestre Irineu-






OM - BHUR BHUVA SWAH
TAT SAVITUR VARENAYAM
BHARGO DEVASYA DHIMAHI
DHIYO YO NAH PRACHODAYAT

Em um mundo melhor,
a lei natural é a do amor.
Em uma pessoa melhor,
sua natureza também é amorosa.
O amor é o princípio
que cria e sustenta as relações humanas,
O amor espiritual leva ao silêncio,
e esse silêncio tem o poder de unir,
orientar e liberar as pessoas.
E mais, quando o seu amor é aliado à fé,
cria uma forte estrutura para a iniciativa e a ação.
Lembre-se: o amor é um catalisador para mudanças,
desenvolvimento e conquistas.

Por Brahma Kumaris






Encontre mais músicas como esta em Portal Arco Íris-Núcleo de Integração e Cura Cósmica