Pesquisa

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Recado da Mãe Divina (Chandra Lacombe)



Vem surgindo um Novo Tempo, traz glórias do Divino
Mais Puros e Atentos nos tornamos Canais do Infinito

Mãe Divina eu quero ser um filho realizado
que é perante o seu Poder que me entrego pra ser libertado

Como um rio que corre para o mar, correntezas carregam o medo
Confiança para atravessar as fronteiras do Eu derradeiro

Não há desculpas para se escorar, já foi dito e a hora é essa
O Tempo é de se integrar, abraçando o que ainda resta

Estou morrendo para o passado e nem anseio pelo futuro
minha Coroa tem brilho dourado e provo o néctar de um Amor Maduro.
...

(Chandra Lacombe) - Devoção, Música e Magia

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

MENSAGEM DE METATRON - A mudança de vibração criada pela Doação trará um Mundo Melhor a Todos.

A mudança de vibração criada pela Doação trará um Mundo Melhor a Todos.



DOE, DOE, DOE SEMPRE O SEU MELHOR!



E com essa atitude você doará LUZ, receberá LUZ e será LUZ!




Amados Seres de Luz!



Minha energia chega ate vocês nesse instante preenchida de muito Amor.



Trago informação através de Luz e Amor, que preencherá a cada Ser que ler essa canalização.



Quando nos conectamos com vocês pela canalização ou por outros meios, toda nossa vibração de Luz e Amor impregna sua atmosfera, seus corpos, mentes, lares e sua vida. Até essas palavras que vocês estarão lendo estão impregnadas pela minha Luz e pelo meu Amor.



Se vocês pudessem vislumbrar a expansão da Luz ao criarem a intenção de ajudar alguém, fariam isso mais vezes.



A intenção de ajudar traz ao seu EU SUPERIOR a conexão junto ao NOSSO CRIADOR. E isso meus queridos é codificado por LUZ, MUITA LUZ.



A humanidade encontra-se num estágio onde o TER é seu primeiro pensamento e o DOAR e algo que vem depois, se tiver tempo.



Através dos Mandamentos que chegaram a vocês, DEUS falou: É dando que se recebe. E vocês interpretaram é recebendo que poderei doar.



E as coisas não são assim...



DEUS deu todos os ensinamentos, para que trilhassem o caminho da LUZ, para que não se perdessem em outros caminhos.



E vocês ao verem outros caminhos por não conectarem com seu EU DIVINO, buscaram os caminhos que aparentemente pareciam ser mais fáceis, mas que com certeza não traria a felicidade procurada.



Movidos pela falta de fé, acham que é preciso sempre acumular para não faltar e não percebem que TUDO pode ser tirado de vocês a qualquer instante.



E qual é o significado do mandamento “É Dando que se Recebe”?



O significado meus queridos, é que o AMOR traz tudo que precisam. Isto é uma LEI DIVINA.



Significa que, quando você Doa você Recebe Milhões de Vezes em LUZ por todos que serão beneficiados com o seu Ato de Amor.




Quero lhes contar sobre uma prova de Amor e Fé.

Esse canal foi a um compromisso de Meditação coordenado por Mim e ela só tinha o dinheiro suficiente para a passagem. Ela poderia não ter ido e usado aquele dinheiro para suprir suas necessidades pessoais, mas ela resolveu ir. Posterior a isso, chegou até ela inúmeros recursos financeiros que cobriram suas despesas da viagem e muitas outras.



E o que é isso meus queridos?



Isso é Fé, Amor, Doação, Coragem, Confiança, certeza de seu propósito e de que DEUS jamais deixará faltar, quando estiver no caminho da LUZ.



E é isso que vocês devem Acreditar. Que nada lhe faltará quando você estiver fazendo as coisas com Amor, quando estiver Doando o seu Melhor.



E isso meus queridos, só aumenta suas possibilidades de receber, pois DEUS é Justo, Generoso, Misericordioso e Imensamente Amoroso.



Não tenham medo de doar, mas tragam para Si essa imensa Luz que os preenche através de seu Ato de Doação.



Talvez alguns de vocês possam dizer: mas o que vou doar se não tenho nem para mim?



E a resposta é, Doe Amor! Isso não acaba quando você doa. E então perceberá que DEUS está preenchendo você e que nada lhe faltará.



Tire de seus corações o medo, as incertezas, as preocupações. Nada esta sob seu total controle.


Aprenda que ao compartilhar você esta criando uma energia de Abundância para Si e para os outros. E quando digo Abundância não refiro apenas a Abundância Financeira, mas a Energia que ela cria.



A mudança de vibração criada pela Doação trará um Mundo Melhor a Todos.



DOE, DOE, DOE SEMPRE O SEU MELHOR!



E com essa atitude você doará LUZ, receberá LUZ e será LUZ!



E é esse Meu Desejo, que vocês tragam para suas vidas os mandamentos do Nosso Criador para novamente trilharem o caminho da LUZ.



EU SOU METATRON, o Senhor da Luz!



MENSAGEM DE METATRON

- CANALIZADA POR SANDRA M. LUZ -











Shalom...

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

AME A TODOS, SIRVA A TODOS.


Todos aqueles que se definem como buscadores espirituais são, definitivamente, buscadores da verdade. Essa Verdade, a absoluta (pois não está sujeita à relatividade do mundo fenomênico), leva à libertação.
Porém, muitas vezes, podemos cair na confusão de que a Verdade está fora de nós, e perdemos tempo e energia em uma busca sem sentido. Bhagavan Sri Sathya Sai Baba nos ensina a reconhecer e a orientar essa indagação sobre a verdade dentro de nós, onde ela reside.
Grande parte de seus ensinamentos compreendem extensas séries de livros (Chuvas de Verão, série dos Vahinis, Discursos, etc.) nos quais nos impulsiona e orienta para chegarmos ao descobrimento de nossa realidade final. As frases a seguir foram extraídas de sua imensa obra, e procuram mostrar as linhas gerais de seus ensinamentos.




AME A TODOS, SIRVA A TODOS.

AJUDAR SEMPRE, NUNCA FERIR.



O homem procura Deus e indaga sobre a natureza da Divindade. Sendo que Deus está dentro dele, qual é a necessidade de sair para procurá-Lo? Em primeiro lugar, o homem deveria se empenhar em entender sua verdadeira natureza, que é Sathyam, Jnanam e Anantham (verdade, sabedoria e infinitude). Deus proporcionou ao homem os Vedas e outras escrituras para abrir seus olhos para a verdade de que é essencialmente divino. Neste mundo, cada homem está dotado de verdade, retidão e amor. O homem é a encarnação de Sath, Chit e Ananda (Ser – Consciência – Bem-aventurança). Esses atributos são realmente divinos.


O fim da sabedoria é a Liberdade.
O fim do conhecimento é o Amor.
O fim da educação é o Caráter.


O que significa Ahimsa (não-violência)? Não se trata meramente de se abster de prejudicar ou ferir a outros. Implica também abster-se de prejudicar ou ferir a si mesmo. Em termos de linguagem, devemos examinar se nossas palavras causam dor. Devemos cuidar que nossa visão não esteja contaminada com intenções ou ideias más, nem se prestar a ouvir fofocas. Todas essas coisas prejudicam. Portanto, devemos cuidar para não ver, ouvir, falar, pensar ou agir com maldade. Como determinar o que é mau? Consultando a consciência. Cada vez que agirem em contra dos ditados da sua consciência, conseguirão maus resultados.


Há apenas uma religião, a religião do amor.
Há apenas uma linguagem, a linguagem do coração.
Há apenas uma casta, a casta da humanidade.
Só existe um Deus, e Ele é Onipresente.


Lembre que você não é este corpo; este corpo não pode ser você. Você és Isso (Tat Twam Asi). Você é a Consciência Suprema. Esse é o ensinamento mais sublime e mais sagrado: você é a indestrutível Consciência Suprema.


A política sem princípios,
a educação sem caráter,
a ciência sem humanidade,
a religião sem amor,
o comércio sem ética
não são apenas inúteis,
mas completamente perigosos.


Mantenham este pensamento em sua mente: “Não sou meramente um homem, sou a encarnação da Divindade”. Estabeleçam essa convicção e perceberão essa verdade. Como se diz, Brahmavid Brahmaiva Bhavanthi (o conhecedor de Brahman em verdade se converte em Brahman, quer dizer, Deus). Se perceberem a si mesmos como divinos, se tornarão divinos. Se vocês se considerarem um ser humano, continuarão sendo. Mesmo quando sua forma seja a de um ser humano, em vocês reside o princípio Átmico. Para reconhecer o Atma, mantenham seu coração puro e desprovido de negatividade.


Não permitam que sua mente se ocupe dos vícios e dos defeitos dos outros; ela se contaminará com isso. Concentrem sua mente na beleza e nas virtudes dos outros, pois, desse modo, ela se purificará.


As mulheres devem se dar conta de que, independente de sua educação ou cargo, sua obrigação primordial é a de proteger o lar. Onde quer que se honre as mulheres haverá prosperidade e felicidade. As mulheres nunca devem ser menosprezadas ou tratadas com irreverência. Um lar em que a mulher derrama lágrimas se verá privado de todo bem-estar.


O amor dá e perdoa;
O "ego” toma e esquece.


Suponham que vocês veem um avião no céu; alguém lhes diz que um piloto o está conduzindo, mas vocês não acreditam porque não podem vê-lo de onde vocês estão. Podem entrar no avião para comprová-lo, mas não podem negar sua existência enquanto estão em terra firme. Devem deduzir que há um piloto no avião. Da mesma forma, ao contemplar o universo, devem deduzir a existência de Deus, e não negá-lo apenas porque não podem vê-Lo.


Deixem que seu barco flutue sobre as águas, mas não permitam que estas entrem nele. Estejam no mundo, mas não sejam do mundo. Esse é o segredo de uma vida bem-sucedida.


Quem é você? O Atma. De onde você veio? Do Atma. Para onde vai? Para o Atma. Por quanto tempo você estará aqui? Enquanto estiver ocupado em assuntos sensoriais. Onde você está? No mundo irreal e em permanente mudança. Em que forma? Como Anatma (o que não é Atma). A que tarefa se dedica? A tarefas que se diluem. Então, o que você deveria fazer de agora em diante? Renunciar a elas e se esforçar para se fundir no Atma.


O Amor no pensamento é Paz.
O Amor na ação é Retidão.
O Amor na palavra é Verdade.
O Amor na compreensão é Não-violência.


Unicamente seguindo o caminho do amor vocês poderão experimentar a felicidade. Assim como o mero enunciado dos pratos do cardápio não pode acalmar sua fome, da mesma forma, a menos que digam palavras doces e realizem boas ações, não poderão desfrutar da doçura da vida nem ser felizes. Todos vocês são filhos da imortalidade e encarnações da bem-aventurança. O motivo pelo qual buscam a felicidade é porque surgiram dessa Origem, a felicidade. Da mesma forma que o peixe nascido na água não pode viver fora dela, também o homem anseia a felicidade, onde quer que esteja e em qualquer coisa que faça. O homem estará inquieto até que retorne à felicidade da qual surgiu. A verdadeira bem-aventurança não se encontra neste mundo. Mantenham sua mente sempre em Deus – somente então terão paz e felicidade.


A ira é nosso pior inimigo,
a calma, nossa maior proteção.


Quando as dificuldades os afligirem, saibam que são a consequência de suas próprias ações passadas. Não culpem Deus nem se queixem Dele. Não deem atenção ao problema, nem o considerem como tal. Dediquem-se ao serviço aos outros e a realizar ações meritórias. Qualquer adversidade é um passo a mais para a bem-aventurança infinita.


Se a riqueza se perder, nada se perde.
Se a saúde se perder, algo se perde.
Se o caráter se perder, tudo se perde.


Riqueza, educação, status social, etc. de nada servem sem caráter. O caráter é como a fragrância da flor; confere valor e mérito. Poetas, pintores, artistas e cientistas talvez sejam admiráveis em seus próprios campos, mas, sem caráter, não podem ter uma verdadeira categoria. Poderíamos nos perguntar se todos aqueles que são tratados agora com respeito pela sociedade possuem um caráter que lhes dê direito a ser considerados grandes, mas a sociedade está sujeita a modas que variam a cada dia. A natureza básica de um caráter impecável é eterna, e se mantém invariável sejam quais forem as vicissitudes da sociedade. Entre as qualidades que conformam um caráter irrepreensível estão o amor, a paciência, a tolerância, a constância, a caridade – estas são as de primeira ordem e devem ser honradas.


O amor vê a todos como uma família Divina.


Os Vedas declaram: “Venerem a mãe como a Deus, venerem o pai como a Deus, venerem ao mestre como a Deus, venerem o hóspede como a Deus”. Cada um tem a divindade em si; portanto, não devemos menosprezar ou ignorar ninguém.


A paciência é toda a força de que o homem precisa.



Quando querem vencer um inimigo poderoso, devem buscar a ajuda de alguém mais poderoso que seu inimigo. Da mesma forma, para vencer o poder da Maya (a Ilusão que cria ignorância), o homem precisa buscar a Graça Divina. Somente Deus (Madhava) é mais poderoso que Maya. Entregando-se ao Divino e enchendo seu coração de amor e devoção, podemos enfrentar todos os desafios da vida.


Quando se voltarem para Deus, Deus se voltará para vocês!


O homem deve possuir somente a riqueza que for essencial para ele. É como o tamanho dos sapatos: se estiverem muito soltos, não se pode caminhar, e se estiverem muito apertados, não se pode calçá-los. Não importa quão grande é o lago onde o cão bebe água, ele só beberá a água que precisa. Da mesma forma que o sangue, o dinheiro deve circular para assegurar a saúde.


Qualquer coisa que fizermos, boa ou ruim, nos seguirá. Colhemos os frutos das ações e dos desejos.


Não há necessidade de que se esgotem buscando Deus. Ele está aí. Ele não vem de um lugar e vai para outro. Ele se encontra aqui, ali, em todas partes. Desde o átomo até o cosmos, desde o microcosmo ao macrocosmo. Ele é tudo.


A bem-aventurança não é algo que nos chega. É nossa natureza verdadeira e permanente. É preciso despertá-la e merecê-la.


Não se inflem de orgulho quando os outros os louvarem,
não se sintam abatido quando os culparem.


Não se deve responder às palavras dos malvados. Fiquem longe deles, pelo bem de vocês. Se for necessário, cortem sua relação com essas pessoas.


Caminhem para a luz e a sombra irá atrás.
Caminhem afastando-se da luz,
e estarão seguindo sua própria sombra.


Enquanto continuarem emaranhados no mundo sensorial, não poderão distinguir o real do irreal.

MANDALA - Uma Afirmação Visualizada: Vencendo a depressão!



Uma mandala solar irradiante, expansiva,

em tons de amarelo e laranja.



Estimula a alegria, a capacidade de recuperação, regenera os danos de emoções negativas, recarrega e estabiliza o campo vibratório.



Inspirei-me num comentário da Tina, do blog Semeadora de Luz, que deixou uma dica ótima no post sobre O Grande Sol Central.



Trata-se de um exercício meditativo para afastar a tristeza e a depressão:



"Um exercício muito bom para quando se está deprimido é respirar o Sol.

Com a boca aberta, como um aspirador, respire a luz dourada e prenda a respiração.



Imagine essa luz te iluminando completamente e solte o ar.

Faça isso várias vezes, imagine essa luz dourada expandindo em você, que se torna o próprio Sol, vibrando somente a mais linda luz...





Faça isso enquanto se sentir triste!

Duvido que se fizer direitinho, não vai melhorar.





O Sol é uma fonte inesgotável de Luz!"







Diz Marcelo Dalla: - Criei essa mandala para os dias sem Sol.

Podemos visualizá-la e fazer este mesmo exercício com ela.

Que tal? Vamos experimentar?





Mandala e Texto por Marcelo Dalla( http://marcelodalla.blogspot.com/)

Mandalas ''OM''



OM é um vocábulo único, pronunciá-lo regularmente, longe de se constituir uma prática absurda e vã, traz uma infinidade de vantagens, tanto físicas quanto mentais. Façamos um exame objetivo sobre o assunto.






Primeiramente devemos aprender a emitir o som de OM.



Deitado ou sentado, com os lábios entreabertos, depois de uma inalação profunda, se faz a exalação freada expulsando o ar, o qual ao sair, faz vibrar as cordas vocais em um “OOOOOO...” prolongado.

O som deve ser o mais grave e uniforme possível.

Se o emitirmos corretamente com a mão sobre o peito, notaremos a vibração que é produzida nesta área.

Da metade em diante da exalação, vai se fechando a boca, expulsando o ar e contraindo os músculos abdominais emitindo um “MMM...” prolongado e nasalado que zune no crânio.



Apoiando a mão sobre o crânio, também notaremos a vibração que aí se produz. Colocando as palmas das mãos contra as orelhas, se ouve mais nitidamente o “OOOOMMMM...”.



- EFEITOS DE OM -








EFEITOS VIBRATÓRIOS: O “O” faz vibrar toda a ossatura da caixa torácica, esta vibração é transmitida para a massa de ar encerrada nos pulmões, para a delicada membrana dos alvéolos, que ao vibrar estimula as células pulmonares permitindo um melhor intercâmbio gasoso.

Esta vibração exerce também, um notável efeito sobre as glândulas endócrinas (hipófise, pineal, tireóide, supra-renais, gônadas).



As vibrações do mantra “OM”, chegam aos tecidos mais ocultos e as células nervosas, intensificando a circulação nestes locais. Até mesmo o sistema nervoso simpático e o nervo vago recebem a benéfica influência destas vibrações.







A musculatura de todo o aparelho respiratório relaxa e se fortifica, a respiração desenvolvida aumenta o aporte de oxigênio para todo o corpo.



A vibro- massagem da vocalização de “OM”, atinge os órgãos da caixa torácica, do abdômen e nervos cranianos.

Como conseqüência desta vibração, ondas eletromagnéticas são produzidas propagando-se por todo o corpo, aumentando o dinamismo e a vontade de viver e finalmente desenvolvendo a capacidade de concentração.










EFEITOS SOBRE O APARELHO RESPIRATÓRIO :



1- Respiração lenta : A emissão de “OM” torna mais lenta a exalação, o que revitaliza o coração.



2- Respiração regulada : Quando o som é uniforme a respiração torna-se contínua, sem sacudidelas.



3- Respiração completa : Expulsa todo o ar residual dos pulmões, como conseqüência a inalação se torna mais profunda.



4- Controle e relaxamento : Para que o som seja uniforme, é imprescindível o relaxamento dos músculos respiratórios durante a exalação.







EFEITOS MENTAIS:



1. Quase imediata prevalência de ondas do tipo “Alfa” no cérebro, as quais induzem calma, paz e relaxamento de tensões em geral.



2. Ativa a secreção de substâncias como a “serotonina” e “endorfinas”, que incrementam ou estabelecem a sensação de satisfação existencial de forma continuada. Estimula e exercita a atividade equilibrada dos dois hemisférios cerebrais.



3. Notável aumento da capacidade de concentração e memória.



4. Induz à estabilidade emocional.







O OM pode ser emitido de forma audível somente na exalação, podendo ser entoado mentalmente durante a inalação, intensificando a paz mental.







Durante o dia a dia, repetindo com freqüência o mantra OM mentalmente, poderá se notar serenidade e paz mental que tal prática pode proporcionar, elementos estes imprescindíveis para a meditação, a felicidade e a saúde.







“Respire OM, coma OM, pense OM, viva OM, seja OM”. Swami Sivananda, guru de nosso guru Paramhamsa Satyananda.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Satchita | Playing For Change



Peça a Deus, …
Que os homens encontrem os seus passos perdidos,
e que os sonhos despertem esses olhos dormidos,
que o Amor transborde e vivamos em Paz…
Que os dias terminem com os braços cansados,
e que a sorte só queira estar ao teu lado,
que a dor não lhe assombre nem lhe cause desespero, peça a Deus…
Sat-Chit Ananda Parabrahma,
Purushotamah, Paramahtma,
Sri Bhagavathi Sametha,
Sri Bhagavathe Namahah
Ohhh ohhh ohh ohh
Peça a Deus,… que nos mande do céu muita sabedoria,
um Amor verdadeiro, .. que ninguém passe fome,
um abraço de irmão, que vivamos em Paz…
Que terminem as guerras e também a pobreza.
Encontrar alegrias entre tanta tristeza,
que a Luz ilumine as almas perdidas e um futuro melhor.
Sat-Chit Ananda Parabrahma,
Purushotamah, Paramahtma,
Sri Bhagavathi Sametha,
Sri Bhagavathe Namahah
Ohh ohh ohh ohh

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O Corpo Espiritual Sob a Forma de Séfiras





O nível no qual uma pessoa está, totalmente, determina seus pensamentos e sentimentos. Não podemos pensar, entender, sentir, planejar ou ansiar por algo fora deste nível. É tudo determinado pelo nosso estado, o nível a que chegamos.

O desejo de receber opera de acordo com a quantidade de Luz que se revela em seu interior. Partímos do valor máximo no mundo do Infinito a um dos 125 graus que descem a partir dele , em que a Luz diminui e portanto, afeta o desejo de receber cada vez menos. Como a Luz diminui, o desejo se torna gradualmente mais escuro, corrupto, e distante da Luz nos seus atributos.

Como a Luz brilha menos sobre o desejo, o desejo descobre seu próprio atributo: o egoísmo. Tudo depende da força da Luz que doa ao desejo.

Assim, não devemos focar no nosso corpo fisiológico ou nos nossos pensamentos, mas apenas nos preocupar com os desejos que tem de ser corrígidos pela Luz. Já que o estado do desejo é totalmente dependente da Luz que brilha sobre ele e mantém a uma certa altura, temos que pensar apenas na influência da Luz sobre nós: Como podemos constantemente tentar colocar-nos sob a influência da Luz no caminho máximo e mais ideal.

Eu não sei como a Luz vai me afetar e de onde vem. Eu só preciso fazer o que os Cabalistas nos aconselham e realizar ações que irão revelar o caminho para a Luz e permitirá que ela me influencie e então eu vou mudar. Se eu não fizer isso, eu não vou mudar.

O principal conselho é se conectar com o meu ambiente e os livros de acordo com as instruções do professor. Assim, eu me abro para a influência da Luz, e todo o resto depende disso. A Luz vai influenciar o desejo, e o desejo novo trará novos pensamentos, compreensão e sensações e vai revelar o mundo para mim de novo. Nós temos que sentir tudo em nosso desejo.

Os desejos de uma pessoa, seu coração, dependem totalmente da influência da Luz. Ligação de uma pessoa com as Sefirots é determinada pelo grau em que a Luz chega até ela e corrige seu desejo. Isto determina a altura de sua escada espiritual. Sefirots são os atributos da Luz em que se veste quando atravessa os mundos, a fim de conceder a vontade geral a uma pessoa.

A Luz passa por filtros que possuem certos atributos, e sob a influência da Luz o desejo começa a mudar. Em vez do desejo comum de receber, que carece de qualquer caráter e direção, há um desejo concreto que pertence a uma certa altura e assemelha-se a Luz.

Esses desejos já podem ser chamados pelos nomes das Sefirot porque “brilham” quando eles querem repetir com precisão as ações da Luz. Isto significa que o Sefirot estão vestidos com o desejo e uma pessoa começa a adquirir a forma do Sefirot, a forma do corpo espiritual, e assim se torna semelhante a Luz.


Da 1ª parte da Lição Diária de Kabbalah 14 /11/2011, Shamati # 68
Publicado em 20 de novembro de 2011 por souzapin


Shalom...

O papel dos professores


A educação atual se concentra em adquirir habilidades e conhecimentos sobre o mundo objetivo e na compulsão por obter títulos. Como resultado, os alunos esquecem o que foi estudado superficialmente e seus cérebros ficam vazios logo após derramarem seus conteúdos no exame. Bhagavan Sri Sathya Sai Baba* assegura que esta tendência pode ser revertida pelos professores, cuja função é muito mais transcendental do que se pensa.




O patrimônio mais importante
“Para que serve uma escola? Para fazer humano o homem. O homem tem nele certos atributos específicos que devem ser desenvolvidos e estimulados para que possa se elevar a sua plena estatura. Quando os ignora ou os abandona, o homem existe somente a nível animal. Só a disciplina pode fazê-lo alcançar sua herança. Através da escola e educação superior, se transforma em homem. Ao menos, assim deveria ser. O professor é o patrimônio mais importante da escola. O tijolo o cimento não fazem que uma escola seja eficiente e útil. Tampouco são tão essenciais os livros na biblioteca ou os instrumentos no laboratório. É o professor aquele que dá forma à escola ou a prejudica. Ele é em si mesmo todos os livros que vocês necessitam; é o instrumento mais necessário. Ele é quem modela as maneiras, o comportamento, as atitudes e inclusive os preconceitos dos alunos que estão sob seu encargo. Portanto, sua responsabilidade tem um grande peso, muito mais do que ele mesmo acredita”.


Uma oportunidade transcendental
“Em essência, os anos de vida são só um curto período, um descanso em uma pousada localizada à beira do caminho, um drama representado sobre um pobre cenário, uma bolha sobre a água. Durante este instante fugaz, foi dado a poucos esta oportunidade extraordinária de compartilhar, de dar instrução, inspirar devoção, infundir coragem na criança em crescimento, de forma tal que esta lhes guardará eterna gratidão.
A qualidade do trabalho é mais importante que a quantidade. Portanto, não se comprometam a fazer mais do que podem fazer satisfatoriamente. Deixem que sua própria consciência seja o juiz. Quando sentirem que cumpriram com seu dever de forma satisfatória para com as crianças e para com a sociedade, poderão descansar satisfeitos.
Realizem seu trabalho corretamente, como uma forma de adoração, como uma oferenda aos pés de Deus e serão amplamente recompensados com alegria, paz, serenidade e êxtase. Estes professores, aos que hoje honramos, têm a mesma mensagem para todos vocês. Não os chamem de pobres, já que são ricos em tesouros espirituais, na alegria do dever bem entendido, comprometido e bem realizado”.


O exemplo: o ensino mais alto
“O professor tem que ser como aconselha a seus alunos que sejam. Seu exemplo modela facilmente as delicadas mentes que estão na aula. Se o professor falar contra o hábito de fumar, deve abandoná-lo ele mesmo; se insistir na pontualidade, deve chegar à classe no horário. Deve saber que sempre estará colocado sob o foco do rigoroso escrutínio dos alunos. Qualquer procedimento seu equivocado se transforma em tema de conversação na comunidade. Fala-se sobre isto durante o jantar em centenas de lares a cada dia. Portanto, o professor deve ser prudente em todo momento.
A abóbora rasteira é propensa a crescer torcida se for deixada sozinha. Portanto, os jardineiros atam uma pedra à ponta e o peso a orienta à medida que cresce mais e mais comprida. De forma similar, as mentes das crianças e dos jovens também tendem a crescer torcidas, pela influência de filmes sensuais, da vazia e hipócrita atmosfera criada pelos maiores, da atração do brilho e a popularidade ou de um falso sentido da aventura e fama. Assim pois, a escola deve atar a pedra da disciplina e fazê-los crescer retas e sinceras”.


Disciplina equilibrada
“A pedra, entretanto, não tem que ser muito pesada para que não rompa a abóbora em dois pedaços. Em todo momento e em todos os casos, evitem os extremos. As regras disciplinares têm que estar bem estudadas e adaptadas à idade do grupo que querem corrigir.
Por exemplo, tem sido sugerido que às crianças “más” – em realidade não existem crianças más, mas unicamente crianças malcriadas- deveriam ser isoladas e ter atenção especial para serem curadas de suas tendências negativas. Entretanto, não gosto que sejam separadas e que todos dirijam sua atenção a elas como crianças especialmente marcadas. Não é bom para elas, nem para as demais. Os professores podem prestar-lhes atenção de forma especial sem que o resto das crianças o perceba, já que habitualmente provém de famílias sem raízes na prática espiritual. Isto é o único aconselhável. Naturalmente, um bom professor sabe como tratar ditos estudantes, se ele ou ela tem fé ou inteligência.
A oração é uma boa atividade para incluir no horário escolar. Deixem que as crianças se dêem conta de que a oração é universal e que ela, em qualquer idioma, dirigida a qualquer nome divino, chega ao mesmo Deus. O silêncio também é inestimável e pode-se pedir aos alunos que o pratiquem. Procurem fazer com que os pequenos não estejam muito inquietos ou deprimidos. Outra sugestão é que não os deixem estar ociosos e desocupados. Cada segundo é um valioso presente. O tempo bem utilizado é comparável à comida bem digerida: alimenta e vigora os estudantes.
A atmosfera deve ser tal que a obediência à disciplina surja automaticamente e se realize de todo coração. Só uma disciplina assim formará bons líderes para a nação. Diferentemente do que acontece com a geração atual de líderes, eles poderão inspirar e guiar às pessoas pelos delineamentos corretos”.


Os desafios que enfrentam os professores
“Hoje em dia os professores não são conscientes da nobreza de sua profissão, já que a sociedade se tornou mal-agradecida. Crianças e jovens consideram as estrelas de cinema como seus deuses e guias; aprendem profunda e perigosamente com os filmes, com as historietas de terror e com as novelas policiais. Não têm noção dos valores que deveriam ter aprendido nos primeiros anos de vida. São arrastados por uma torrente de trivialidades.
O professor é uma testemunha impotente desta tragédia, já que carece de força e sustento para dar, de ideais para implantar e de entusiasmo para transferir. Só quando o professor está imbuído de ensinamentos espirituais dos textos sagrados pode fazer, mediante seu exemplo e preceitos, que as crianças se encaminhem pela senda de paz e a alegria. Naturalmente, o lar e a sociedade devem complementar seus esforços e fomentar as idéias que ele conseguiu imprimir. O professor deve trabalhar em uma atmosfera de amor e verdade e não em uma de ódio e falsidade. Deve mover-se feliz e contente entre as crianças, não raivoso e sombrio. Só assim pode irradiar Amor”.


O bem mais escasso
“Atualmente, a atmosfera está contaminada pelo temor e o receio dos professores e a hostilidade e audácia dos estudantes. Não há amor para lubrificar a relação entre o educador e o educando. “Pagar e receber; cobrar e dar”, este é o vínculo. O amor, o respeito e o afeito não têm lugar nesta transação.
Como pode ser frutífera a educação? Faz um instante, o Dr. Gokak (primeiro reitor da Universidade Sri Sathya Sai Baba) disse que quando os professores amam as crianças, são recompensados pelo amor deles. Agora, ao contrário, são amados só pelo dinheiro que trazem; a relação é artificial e carece de raízes no coração. Tanto o professor quanto o aluno estarão cheios de alegria só quando vincular o amor entre eles, que não calcula o valor da retribuição.
O professor deve ganhar o respeito de seus alunos derramando seu amor sobre eles, e os alunos devem ganhar o amor do professor entregando-lhe sua reverência e afeto”.


A melhor ferramenta
“Não há conselho nem exortação que possa fazer que o professor se eleve ao nível máximo de sua profissão. Deve aperfeiçoar-se por si mesmo; a pressão ou opinião externas não podem melhorá-lo. Pode ser que existam vários motivos pelos quais escolheram esta profissão, mas todos eles são irrelevantes agora. Uma vez que estejam exercendo seu papel, devem esforçar-se por justificar a confiança que os pais depositaram em vocês e servir aos melhores interesses das crianças que tem a seu encargo. É certo que também foram estudantes e naturalmente, como professores, procuram adaptar seus métodos e estilos aos delineamentos empregados por seus próprios professores. Mas vocês têm a obrigação de mergulhar na Realidade Interior e descobrir o manancial de felicidade que há ali. Desta maneira, a árdua tarefa de educar as crianças será uma tarefa de recreação, altamente alentadora e gratificante.
Seu caráter é a melhor ferramenta para a profissão que praticam. É óbvio que seu saber também é valioso, mas dele são perdoáveis alguns erros. Em contrapartida, o caráter deve ser cem por cento perfeito. Não vivam artificialmente, mas façam-no de acordo com a mensagem dos sábios. Expressem a Verdade e transitem pelo caminho da Retidão”.


Educação em valores humanos
“As crianças que estão guiando e inspirando serão os líderes do amanhã. As virtudes que implantarem neles, os conselhos e o exemplo que lhes derem permanecerão gravados em suas memórias e transformarão sua visão e comportamento nos dias futuros.
A educação deve estar orientada a fim de prover à criança não elementos para subsistir mas uma vida que mereça ser vivida. Para isso, não basta a aquisição de habilidades para fazer ou raciocinar, o que é absolutamente essencial é a fé em si mesmo e na própria divindade. Esse é o precioso tesouro da sabedoria, guardado em nossas antigas escrituras e na experiência dos Santos e Sábios de todos os países e religiões.
Alguns críticos muito curtos de visão declaram que os assuntos espirituais não deveriam ser tratados com as crianças, pois são muito jovens e inexperientes para obter benefícios de tal conhecimento. Não obstante, se há algo que é necessário realizar, quanto antes, melhor. O ditado “Parta cedo, conduza devagar, chegue a salvo”, não só é aplicável às viagens em automóvel ou trem, mas também à viagem da mentira à verdade, da escuridão à luz e da morte à imortalidade. A inquietude, a ansiedade, o medo e o ódio que atormentam o mundo se devem majoritariamente à negligência que manteve longe às crianças das disciplinas que podem regular as paixões e as emoções do homem. Ensinem às crianças a venerar seus pais. Isto é o primeiro que devem fazer. Trata-se de um simples ato de gratidão em direção àqueles que os dotaram do instrumento material para a vida”.


O método indireto
“A instrução espiritual ou moral não deveria figurar no plano de estudos como uma matéria separada; todo tema deve ser aprendido incluindo os cinco valores humanos (verdade, paz, amor, não violência, retidão), como o fio que vai unindo uma lição à outra. Mediante o exemplo e o preceito, tanto na aula como no campo de lazer, se deve enfatizar a excelência da colaboração inteligente, do sacrifício pelo grupo, da compaixão pelos menos dotados, da ajuda aos impedidos, aos fracos, aos doentes e aos pobres. Do amor e confiança em si mesmo, do silêncio e oração.
O método indireto (em que os valores atravessam todas as matérias) para inculcar estes princípios é melhor que o ensino direto mediante livros e exames. Relatem histórias das Escrituras, de santos e sábios de todos os povos e de todas as épocas, para ilustrar um tema que surja em uma classe de qualquer matéria. É possível, inclusive, ensinar ciência e matemática de uma maneira moral ou imoral. Prefiram sempre a forma moral.
Procurem ter crianças de diversas religiões em suas aulas, para que a amizade entre eles possa tornar-se compreensão e a compreensão, amor. Não falem sobre as diferenças entre as religiões no começo; melhor, acentuem as similitudes óbvias, para que as delicadas mentes que tem a seu encargo não se confundam”.


Uma só religião
“Lembrem-se que há uma só religião e é a religião do Amor; há uma só casta e é a casta da humanidade. Devem ter cuidado de não fomentar o mais mínimo indicio de “diferença” referente à religião, casta, credo ou cor nas classes de valores humanos. Não manchem as imaculadas e limpas mentes infantis infetando-as com sentimentos de diferenças entre uma criança e outra. Forneçam conhecimentos e inspiração a todos por igual. Selecionem histórias das Escrituras de todas as religiões para interessar às crianças quanto aos valores de uma vida reta. Falem-lhes dos heróis virtuosos de todos os países e dos santos de todos os credos, porque todos eles são da mesma estirpe. Nenhuma Escritura engendra a violência ou declara a falsidade como modo de vida. Todas as religiões exaltam a Verdade, a Retidão, a Paz, a Irmandade e o Amor. Todos os santos são encarnações do serviço, a compaixão e a renúncia.
Tampouco comparem as diversas manifestações do Divino nem emitam juízo declarando que Rama é mais grandioso que Krishna (encarnações divinas do hinduísmo). Isto é danoso para o aspirante espiritual. Vocês não conhecem seu próprio Ser mas se atrevem a dar sua opinião sobre personalidades e poderes que nunca experimentaram nem entenderam.
Rama é tão desconhecido para vocês como o é Cristo, e por isso é melhor guardar silêncio e venerar a ambos com o mesmo fervor. Todos são manifestações do mesmo Esplendor Divino. Os abençôo para que triunfem na grande tarefa que lhes foi outorgada e para que sejam capazes de iluminar o caminho das crianças desta terra, a fim de que as conduza em direção à gloriosa região da felicidade eterna”.



Fonte:
Compilação das mensagens de Sathya Sai Baba, edições Sathya.
Discursos de Sathya Sai Baba de:
3/4/1967
5/9/1968
2/3/1970
3/1/1974
20/11/1978
6/6/1978

*material extraído de seus discursos

MELODIA para a ''oração Sarva Dharma", que é a união de todas as religiões

É uma melodia para a "oração Sarva Dharma", que é a união de todas as religiões.



OM TATSAT SRI NARAYAN TU,

PURUSHOTTAMA GURU TU..;

SIDDHA BUDDHA TU, SKANDA VINAYAKA,

SAVITHA PAVAKA TU..;

SAVITHA PAVAKA TU..;

BRAHMA MASZDA TU

YAHAAV SHAAKTHI TU

ISHU PITA PRABHU TU...;

RUDRA VUSHNU TU,

RAMA KRISHNA TU

RAHIM TAO TU;

RAHIM TAO TU;

VASUDEVA GO

VISHWAAROOPA TU

CHIDAANANDA HARI TU..;

ADVITITYA TU AKAALA NIRBHAYA

AATMA LINGHA SHIVA TU...;

AATMA LINGHA SHIVA TU...;

AATMA LINGHA SHIVA TU...




Om, Tu és Aquele, Tu és Narayana (Deus em forma humana)

Tu és a personificação da perfeição, és o Perfeito Mestre.

Tu és o iluminado Buda, Tu és Ganesha (o que elimina os obstáculos)

Tu és o fogo do sol. Tu és Brahma (o Creador) e Mazda (o Único)

Tu és Jeová e a Mãe Divina (a Energia Creadora). Ó senhor, Tu és o pai de Jesus.

Tu és Rudhra (o transformador) e Vishnu (o preservador)

Tu és Rama e Krishna, Tu és Rahim (todo bondade que dá e expande) e Tao.

Tu és Vasudeva (a substância do Todo), Omnipresente e Omnipotente.

Tu és Hari (o destruidor da ilusão), o Espirito Bem Aventurado.

Tu és Único, mais além do tempo e sem temor da adversidade.

Tu és Shiva, o Creador do Limgam (símbolo do absoluto sem forma)


SAI%20BABA%20%20%20OM%20TAT%20SAT.mp3
Track11sarvadharmacantado.mp3

domingo, 20 de novembro de 2011

Ahimsa: a não-violência



CONSCIÊNCIA É VIDA!


(por Alexandre Milagres, instrutor do Núcleo Hanuman de Shivam Yoga, Macaé/RJ, em ocasião do VI Encontro Nacional de Shivam Yoga)


"Para desenvolver a consciência plena o ser humano precisa manter sua saúde e prezar pelo seu corpo físico, numa contínua busca do equilíbrio."
O vegetarianismo é uma conduta Sankhya-Tantra observada e seguida pelo Sistema Shivam Yoga que leva a uma alimentação saudável que respeite os animais. Enfatiza a importância de preservar o solo e o uso correto da terra, para que futuras gerações não a encontrem com erosão, queimada e sem os minerais necessários para uma vida saudável.
O uso de agrotóxicos e adubos químicos vai contra o princípio do Ahimsa e a agricultura vegan provou que esses artigos são desnecessários quando o equilíbrio correto do solo for estabelecido. Frutas e verduras cultivadas com métodos vegans podem ser tão grandes e bonitas quanto aquelas cultivadas sob qualquer outro método. (Obs.: "vegan" não é o mesmo que “orgânico”, que pode utilizar sangue, osso, casco moído, chifre moído e outros sub-produtos animais).
Mas todos esses cuidados não são suficientes para que o equilíbrio seja mantido. Na visão do Tantra, a contaminação da água com esgoto e resíduos industriais bem como a lavra predatória e uso indiscriminado dos recursos naturais são contrários à lei do Dharma.
Poucos não-vegetarianos avaliam o fato de que muito mais alimentos vegetais do que os alimentos animais podem ser produzidos em uma área igual e no mesmo espaço de tempo adotado.
De forma geral, o vegetarianismo poderia livrar o ser humano da criação animal com toda a sua crueldade e as terras férteis seriam liberadas para a produção de alimentos destinados ao consumo humano e ao desenvolvimento do ecossistema.
Não importa para o animal inocente se ele será abatido para fornecer comida ou outra coisa. O Ahimsa não observa somente a alimentação. Deve-se observar o abatimento ou a exploração de qualquer animal e a exploração predatória da natureza, qualquer que seja o motivo:
- Comida: Carne, peixe, aves e todos os produtos que contenham qualquer um destes ingredientes.
- Roupa: Lã, couro, seda, peles, penas, pérolas, marfim etc.- Cosméticos: Sabonetes e cremes que contenham óleos ou gorduras animais e os ingredientes de perfumes, obtidos de animais em condições muito cruéis.
- Produtos domésticos: Tapetes ou carpetes de pele e lã, cobertores de lã, travesseiros de penas, escovas e vassouras de pêlo, óleos, graxas, polidores etc. que contenham gorduras animais.
- Esportes e entretenimento: Caça, corrida de animais, pesca, circos e todos atos que incluem a apresentação de animais ou pássaros; zoológicos onde animais livres são aprisionados. Parques nacionais e reservas naturais são opções muito melhores.
- Medicamentos: Vacinas, soros etc. produzidos usando animais, sem esquecer que milhares deles são utilizados em experiências para “testar” todo tipo de medicamentos e cosméticos.
- Consumismo: Utilização indevida dos recursos naturais e de forma predatória e inconsciente. Ex: Desperdício de energia e geração excessiva de resíduos (O lixo continua existindo depois que o jogamos na lixeira!).
O desenvolvimento da sociedade humana exige que extensas áreas sejam desmatadas para ocupação e cultura de alimentos. Esse desmatamento causa a extinção de animais, desaparecimento de fontes naturais de água e, o que é pior ainda, poluição do lençol freático, mudança climática e destruição irreversível do solo e do subsolo, comprometendo áreas naturais adjacentes.
A produção de lixo é um dos mais graves problemas sociais no mundo de hoje. A geração de resíduos é inerente à condição humana, mas pode ser minimizado e até evitado. Porém, com a industrialização, este problema tem se tornado insolúvel. Em 1990, um brasileiro produzia 38 kg de lixo por dia. Em 2004 passou a produzir 63 Kg.
Quanto mais industrializada é uma sociedade, mais geradora de lixo ela se torna. Só de guardanapos de papel o Brasil joga fora 15.000 toneladas por ano. Árvores são derrubadas para virar papel, grande parte sub-utilizada para escrita e impressão ou desperdiçada na forma de embrulhos e embalagens...que viram lixo! Por dia no Brasil, são jogadas em aterros sanitários 12.005.725 toneladas de lixo urbano. Sem contar os outros tipos de lixo gerados pela sociedade. 40% do que nós compramos é lixo. Pense antes de comprar! São embalagens que, quase sempre, não nos servem para nada, que vão direto para o lixo aumentar os nossos restos imortais no planeta. Pense no resíduo da sua compra antes de comprar. Às vezes um produto um pouco mais caro tem uma embalagem aproveitável para outros fins.
Existem várias formas de reduzir o lixo. As mais importantes são os 3 Rs:
• Reduzir o desperdício,
• Reutilizar sempre que for possível antes de jogar fora, e
• Reciclar e/ou separar para a reciclagem (As reservas minerais do Chumbo, Zinco e Estanho, só poderão durar mais 22 anos, mas se reciclarmos, isso poderá mudar).
Para determinar a melhor tecnologia para tratamento, aproveitamento ou destinação final do lixo é necessário conhecer a sua classificação:
- Lixo urbano: Resíduos sólidos em áreas urbana. Inclui os resíduos domésticos, efluentes industriais domiciliares (pequenas industria de fundo de quintal), resíduos comerciais e lixo público (resíduos sólidos e produtos de limpeza pública: areia, papéis, folhagem, poda de árvores).
- Lixo especial: Resíduos geralmente industriais. Exige tratamento, manipulação e transporte especial. (pilhas, baterias, embalagens de agrotóxicos, embalagens de combustíveis, de remédios ou venenos).
- Lixo de serviço de saúde: Resíduos sépticos, resultados de curativos, aplicação de medicamentos que em contato com o meio ambiente ou misturado ao lixo doméstico poderão ser patógenos ou vetores de doenças. Por lei, devem ser destinados à incineração. Além desses, existem ainda: Lixo atômico e lixo espacial.
A questão é: o que fazer com tanto lixo? Felizmente, o homem tem a seu favor várias soluções para dispor de forma correta, sem acarretar prejuízos ao ambiente e à saúde pública. O ideal, no entanto, seria que todos nós evitássemos o acúmulo de detritos, diminuindo o desperdício de materiais e o consumo excessivo de embalagens.
Nos últimos anos, nota-se uma tendência mundial em reaproveitar cada vez mais os produtos jogados no lixo para fabricação de novos objetos, através dos processos de reciclagem, o que representa economia de matéria prima e de energia fornecidas pela natureza. A reciclagem de 1 tonelada de papel economiza 20 árvores. Reciclando 1 tonelada de metal, preservamos 5 toneladas de bauxita. O vidro é 100% reciclável, mas não se decompõe tão rapidamente. O lixo orgânico constitui mais da metade do lixo doméstico e é um excelente adubo orgânico. O biodigestor pode ser utilizado para acelerar esse processo de transformação de restos orgânicos em adubo e ainda produzir gás para consumo industrial ou doméstico.
Assim, o conceito de lixo tende a ser modificado, podendo ser entendido como "coisas que podem ser úteis e aproveitáveis pelo homem.
Bibliografia:
Manual Prático de Yoga – Arnaldo de Almeida – Ed. UFOP, 2001.
Here´s Harmlessness - an Anthology of Ahimsa", da American Vegan Society, 1993.
"Lixo - De onde vem? Para onde vai?" Francisco Luiz Rodrigues e Vilma Maria Gravinatto - Ed. Moderna.
Web Sites:
· http://www.lixo.com.br
· http://geocities.yahoo.com.br/lixoreciclavel/
· http://www.taps.org.br



Maria Elisete Shalom...

Ásanas, os exercícios psicofísicos


A prática de yoga vem sendo muito conhecida no Ocidente devido, não só aos métodos de meditação, mas também pelas variadas posições que nas fotos são belas e algumas parecem bem complicadas.
A tais posturas denominamos de Ásanas, ou exercícios psicofísicos, pois, para sua boa execução, dependem do físico e do aspecto psicológico.

Na história da Índia e do Yoga, diz-se que tais posições foram criadas pelos grandes Mestres espirituais, também conhecidos por Maha Yogues Rishis (do sânscrito maha: grande; rishi: sábio). Estes seres já teriam atingido tamanho grau de desenvolvimento espiritual e iluminação que conseguiam executar posturas (ásanas) com seus corpos numa perfeição que demonstrava o perfeito domínio do corpo, da mente e das emoções.

Os ásanas, portanto, seriam o símbolo dessa perfeição adquirida pelo progresso espiritual!

Os praticantes de yoga tentam, pois, trilhar o caminho da sabedoria através da prática contínua das centenas de ásanas descritos pelos sábios antigos, já que estes promovem um desbloqueio do corpo físico e psíquico do ser, auxiliando no processo de conexão com o Cosmo.

Perfeição, beleza, fluidez, ancoramento, equilíbrio, força e energia são alguns dos benefícios trazidos pela prática dos ásanas!


Na sequência, publico um artigo sobre os Ásanas escrito pela instrutora de Shivam Yoga, massoterapeuta e nutricionista, Alessandra Campos. Confira mais alguns dos aspectos desta maravilhosa prática! Om Shiva!


" Os primeiros sinais da prática de yoga são leveza,
controle dos desejos, boa compleição,voz suave e odor agradável "
Os ásanas atuam sobre todos os aspectos físicos humanos. Eles não somente equilibram as secreções glandulares como também relaxam e tonificam os músculos e o sistema nervoso; estimulam a circulação, alongam os ligamentos e os tendões enrijecidos, flexionam as juntas, massageiam os órgãos internos, acalmam e concentram a mente. Durante esses movimentos suaves, o corpo permanece num estado de eficiência relaxada, e a respiração profunda, que normalmente acompanha essas posturas, faz com que uma grande quantidade de oxigênio seja levada à corrente sangüínea. Durante os ásanas, acumula-se energia ao invés de gastá-la.

Existe uma interdependência sutil entre a mente e o corpo, que é mediada pelas glândulas endócrinas, que regem a sinfonia complexa do corpo, lançando a química hormonal na corrente sangüínea. Esses hormônios têm um intenso efeito, não só nas principais funções do corpo, como a digestão, o calor, o crescimento, o processamento de energia, a sexualidade etc., como também a mente.


A produção de hormônio tem, de fato, um profundo efeito no estado de espírito, no temperamento e na eficiência mental. As situações de hiper ou hipo secreção das glândulas podem causar distúrbios emocionais e mentais que abalam a saúde e a paz de espírito.

Desse modo, existe uma interação dinâmica entre as emoções, os hormônios e as doenças – entre o corpo e a mente. Essa inter-relação foi detectada a muito tempo pelos yogues, que desenvolveram um sistema de exercício que pressionam as diversas glândulas endócrinas. Há milhares de anos, nas antigas florestas da Índia, yogues dedicaram suas vidas ao estudo do domínio do corpo e da mente. Eles observavam pacientemente a vida dos animais, como eles descansavam, como instintivamente se curavam.

Ao experimentarem diversas posturas, esses yogues perceberam o efeito sutil dessas posições e movimentos em seus órgãos e glândulas. Ao longo de milhares de anos essas posturas foram aprimoradas e passaram a ser parte de um sistema cientifico de milhares de exercícios dos quais receberam o nome de Ásanas.Ásana significa literalmente "postura mantida confortavelmente". A pressão sutil das posturas de yoga, mantida estática por algum tempo, restabelece o nível correto de secreção dos hormônios, resultando em equilíbrio e saúde emocional, físico e mental.




As posições sentadas, como as de meditação, melhoram a circulação do sangue e do prana, acalmam a mente e as emoções. Acalmam o ritmo cardíaco, descansando o coração. Desenvolvem consciência corporal. Ao lado, a posição Vajrasana (do sânscrito vajra: bastão), que estimula a produção do líquido sinóvia nas articulações das pernas, melhoram o fluxo de sangue e também de Prana, a bioenergia vital.

http://www.yoga-cure.info

YOGA E FÉ – uma combinação perfeita! UM LINDO DEPOIMENTO DO PADRE ZEZINHO


Muitas pessoas me perguntam se um cristão pode praticar Yoga, o qual inadvertidamente indentificam como uma religião ou uma filosofia estranha. Não falta, inclusive, quem considere o yoga um caminho que, segundo elas, pode afastar alguém da fé.

Deixarei aqui registrado meu depoimento como padre católico. Aprendi com o Yoga durante o periodo em que precisei, de maneira especial, dessa disciplina para superar extrema tensão e cansaço. As leituras dos livros do Professor Hermógenes, a que mais tarde conheci pessoalmente e a quem muito prezo, foram, sem sombra de dúvida, um caminho que até hoje me devolvem o controle de mim mesmo em situações difíceis. Junto à Bíblia, tornou-se meu jeito de trabalhar sem permitir que as tensões se somatizem.

Em nenhum momento ninguém, nem livro algum me influenciou negativamente ou desviou minha fé em Jesus e na minha Igreja. Só cresci com essa disciplina.
Hoje, quando me perguntam sobre o Yoga, respondo que é um conceito de vida rico em sabedoria, não importa de onde ou de quem tenha vindo, porque sei que nele está o dedo de Deus.
O verdadeiro mestre de Yoga é como o verdadeiro pregador do cristianismo. Oferece um caminho e respeita os passos e a direção de quem o ouve.
Se alguma vez o Yoga influenciou algum cristão, imagino que não tenha sido para o erro. A pessoa provavelmente já devia estar confusa.
Yoga e cristianismo são duas disciplinas que só me fizeram bem. Continuo pregador sereno e tudo o que li e aprendi jamais me levou ao conflito. Fiz minhas escolhas como Paulo, que soube aprender e até elogiar outras culturas.
Cristãos serenos aprendem com a serenidade dos outros. Os menos serenos procuram com lente de aumento os defeitos dos outros e fazem de tudo para não aprender. Gostam muito de ensinar, mas negam-se a aprender. E isso não deixa de ser um tipo de fanatismo. Nunca tive dificuldade em assimilar o que é bom em todas as filosofias e práticas de outros povos. Nunca foi necessário fazer concessão à minha fé em Jesus.
Quando alguns católicos me perguntam se podem praticar Yoga, eu lhes indago se alguma vez já jogaram futebol ou fizeram ginástica. Respondem que sim ¨Assimilaram os outros esportes como futebol, vôlei... e não deixaram de ser cristãos¨ Lembro que o Yoga tem conceitos vindos de outras culturas, mais estes podem ser tranqülamente adaptados ao nosso modo cristão de ver a vida. O cristianismo tem muito a ensinar, mas tem muito a aprender também com outras culturas. Ser evangelizado subentende isso: é elogiar as flores dos outros e até plantá-las no próprio jardim.
O Yoga é dessas riquezas que fazem bem, quando a cabeça é boa e o coração sereno.
O mundo esta cheio de gente sábia. O professor Hermógenes e seus amigos sabem o quanto eu respeito sua sabedoria. O mundo teria mais saúde fisica e mental se os ouvisse. Que Deus os ilumine!

*Texto gentilmente cedido pelo Prof. Hermógenes




Pranayamas - Exercícios Respiração




Prâna é o nome genérico pelo qual o Yoga designa a energia biológica, ativa e vital, de origem solar, mas que também pode ser encontrada em todos os elementos inclusive, nos alimentos. O Prâna é visível: pode-se enxergá-lo como minúsculos pontos luminosos e brilhantes (coloridos ou não).


Fases da respiração


· Inspiração = Púraka
· Retenção do ar = Kumbhaka
· Expiração = Rêchaka
· Retenção sem ar = Shunyaka


Em qualquer destas fases, lembre-se sempre, não é apenas ar o que está entrando e atuando no seu ser, é a energia vital, Prâna.


Os exercícios de respiração podem ser dinamizados e potencializados com alguns “bandhas”. Bandhas são compressões ou contrações em plexos ou glândulas. Os principais são:
· Mula Bandha = Contrações dos esfíncteres anais, ânus, vagina e ureta.
· Uddiyana Bandha = Retração do abdômen até o máximo
· Jalándhara Bandha = Contração e distenção alternadas na garganta pesço, para atuar sobre a tireóide.
· Jíhva Bandha = Compressão da língua contra ao céu da boca (palato mole).


É sempre preferível que os exercícios de pranayamas sejam feitos após alguns mantras para purificação dos canais de energia – chamados nadis.


Alguns TIPOS:


1) Tamas pranayama = Respiração imperceptível.
a) Inspirar tão lentamente que não se consiga perceber os movimentos da respiração;
b) Reter o ar por alguns segundos de forma calma e relaxada;
c) Expirar tão lentamente que o movimento seja imperceptível.
* Energiza, acalma, tranquiliza, prepara para dormir bem e racionar com clareza.


2) Adhama pranayama = Respiração abdominal sem ritmo.
a) Inspirar projetando o abdômen para fora, enchendo a parte baixa dos pulmões;
b) Reter o ar por algum tempo;
c) Expirar, retraindo o abdômen, esvaziando plenamente os pulmões.


3) Rajá pranayama = Respiração completa.
a) Inspirar, projetando o abdômen para fora, em seguida, as costelas para os lados e, finalmente, projetando o peito e tórax para fora;
b) Reter o ar nos pulmões por alguns segundos, com tranqüilidade e sem tensão;
c) Expirar, soltando o ar primeiramente da parte alta, depois da parte média e finalmente, da parte abdominal.


Procure estar sentado em posição confortável e com a possibilidade de grande contração do abdômen ao final.


4) Kumbhaka (pranayama ritmado)
Na opinião de Bernard, kumbhaka é o pranayama por excelência, o que quer dizer, a suspensão do ato de respirar, somente praticável por aqueles raros que tem o corpo perfeitamente purificado. É ela que nos dá o domínio sobre o prâna, isto é, nos põe à disposição dos inimagináveis poderes universais. Isentos de pretensões tão altas, vamos entender kumbhaka simplesmente como uma outra prática, que, não sendo tão poderosa, pode, no entanto, oferecer-nos invejáveis compensações.
Respiração ritmada é o exercício que se segue naturalmente ao de puraka (inspiração) ou rechaka (expiração) completas. Chegou a vez de introduzirmos: a) o kumbhaka, ou suspensão do alento (apnéia voluntária) e b) o ritmo. Em outras palavras, este exercício consiste em ritmicamente inspirar, prender o ar nos pulmões e expirar, recomeçando novo ciclo.
Sentado ou em pé, olhos fechados, depois da limpeza dos pulmões, inicie o puraka (inspiração), contando mentalmente (um, dois, três e quatro). Depois de ter os pulmões plenos de ar, conte, no mesmo ritmo, até 16, quando então deverá começar o rechaka (expiração), que se completará quando você tiver contando até 8. Depois de esvaziados os pulmões, reinicie a inspiração. Resumindo: inspire, contando até 4; prenda o ar, contando até 16, e expire contando até 8. Há também kumbhaka com os pulmões vazios.
Você precisa escolher uma certa unidade de tempo para que possa ter alguma significação esta contagem 4 - 16 - 8. Melhor do que tudo será o ritmo de seu próprio pulso. Segurando-o com a outra mão, sentirá que ele bate e, a cada batida, conte; um, dois, três...
Observações
1. Não é forçoso que seja 4-16-8. Poderá ser 3-12-6, qualquer outro ritmo, contanto que obedeça à proporção de 1 para puraka, 4 para kumbhaka e 2 para rechaka. Escolha o melhor para você, desde que venha a evitar violência, sufocações, sacudidelas e fadigas. Comece com um puraka mais curto, para ir gradativamente aumentando. Evite, no princípio, kumbhaka com pulmões vazios.
2. Se não é perfeito o estado do coração, não convém reter a respiração por mais de trinta e dois segundos. É a opinião do autorizado Yesudian.
Efeito terapêutico: Equilíbrio das correntes HA e THA, com a conseqüente tranqüilização do sistema nervoso e do ritmo cardíaco.
Efeito psíquico: Calma e desenvolvimento da força de vontade. Harmonização consigo mesmo e com o universo.


5) Sukha Purvak OU Vamha Kramha OU Anuloma Viloma.
Tudo que foi dito sobre posição e ritmo é valido para o exercício de respiração polarizada. Acrescenta-se agora uma alternância, isto é, a utilização de uma narina, enquanto a outra fica bloqueada. Inicia-se, como sempre, com a limpeza dos pulmões, após o que inspira-se com a narina esquerda, onde termina o nadi ‘Ida’. Depois do kumbhaka, faça a expiração (rechaka) pela narina direita, após o que, inspire pela narina direita, fechando-a depois e, a seguir, esvazie pela narina esquerda. Recomeça-se a seguir com a narina esquerda.
Esta respiração, ao mesmo tempo alternada e ritmada, é a mais própria para estabelecer o equilíbrio interno e com o meio. Nela, duas correntes energéticas polarizadas são conduzidas ao mais desejável grau de integração.
Segundo Yesudian, este exercício é muito poderoso e dele não se deve abusar. É bastante proveitoso para o desenvolvimento das faculdades mentais e, segundo o autor citado, na Raja Yoga tem significativo papel, pois facilita o êxtase. Para maior eficiência, conserve os olhos fechados.

6) Kapalabhati
Exercícios destinados à purificação do corpo. Vejamos sua técnica:
- A melhor posição do corpo é a pose de lótus, mas em qualquer das posturas sentadas, e mesmo em pé, pode-se praticar, sendo indispensável que a coluna fique verticalizada e elegante. Como sempre, comece com a limpeza completa dos pulmões. Agora, relaxe o abdômen, permitindo que se encha de ar. Sem perda de tempo, por uma ação conjunta da musculatura abdominal e do diafragma, force bruscamente o ar a sair. A glote deve permanecer completamente aberta a fim de evitar-se atrito desagradável com a passagem violenta do ar. Novamente com o afrouxamento do abdômen, volta o ar a entrar para outra vez ser explosivamente expulso. Como se vê, o exercício consiste, em ultima análise, numa série de rechakas energéticas. Sem qualquer kumbhaka (retenção). Nele a puraka (inspiração) participa passiva e complementarmente. Visando à maior concentração mental, mantenha os olhos fechados.
Quanto à dosagem, Blay aconselha dividi-lo em "voltas" de 11 expirações, após as quais deve-se relaxar todo o aparelho respiratório. Depois deste repouso, dá-se outra "volta" com igual número. Uma sessão de principiante deverá constar de três "voltas", entremeadas por períodos de relaxamento.
Observações necessárias:
1. Este exercício é desaconselhável para quem sofre do aparelho respiratório, do circulatório e do sistema nervoso.
2. A série de rechakas deve ser rápida, mas a principio, o praticante deve preocupar-se com a aquisição da técnica, evitando violências contra a própria natureza.
3. A atenção deve ser focalizada no interior do nariz, por onde circulam as correntes de ar. A concentração mental é melhor se os olhos ficarem fechados.
Efeitos fisiológicos - Limpa as mucosidades do aparelho respiratório; tonifica-o; carrega sensivelmente o plexo solar com energia vital. Tonifica a circulação, aquecendo o corpo e melhorando o metabolismo. Revigora as cordas vocais.
Efeitos psicológicos - Aumenta a capacidade de autodomínio e de concentração.
Nota: Como variação, pode-se fazer kapalabhati alternadamente com uma e outra narina.

7) Ujjâyi
A melhor posição para este exercício é a do lótus. Vale o que foi dito no exemplo precedente. Ao fazer o puraka ou inspiração, durante a contagem mental até 6, tenha a glote parcialmente fechada, o que provocará um som doce, uniforme e de tom baixo. É melhor tentar seguir a técnica ensinada por Edward Lange ("Yoga pour Soi", Paris): "Durante a inspiração, o pensamento e o movimento dos músculos necessários a pronunciar HANG abrem a faringe sobre o HAN, enquanto que a gutural ‘g’ fecha o orifício, do esôfago e bloqueia a base de vossa língua sobre as das amígdalas". Evite qualquer fricção desagradável do ar sobre a mucosa nasal.
Permaneça em kumbhaka igual tempo, fechando totalmente a glote, com a ajuda de jalandhara-bandha ou chave de queixo. Depois disto comece rechaka.
Desfaça o jalandhara-bandha, relaxando os músculos respiratórios e soltando a respiração, tendo a glote parcialmente fechada, mas formando na boca, mercê da posição dos dentes e da língua, um longo silvo sssss... uniforme e de tom baixo. Use toda a musculatura do abdômen a fim de expulsar o ar todo. Dura a expiração o dobro da inspiração. Novamente recorramos à descrição do supracitado Lange: "Durante a expiração... a parte superior da faringe - o cavum - se relaxa. Os orifícios dos sinus, esses bolsos permanentes de infecção, se abrem e são sifonados pelo ar expirado".
Faça a principio seis e vá acrescendo uma por dia, até dez execuções.
Dirija a mente para a região da glândula tireóide. Olhos fechados facilitam a concentração.
Benefícios terapêuticos. - Diminuição dos catarros, mercê da massagem nas mucosas, cujas secreções asseguram defesa contra a infeção. Estimulação das glândulas endócrinas provocada pela indução de uma forte corrente HA, sendo seu efeito mais energético sobre as tireóides. Aumenta o calor do corpo e corrige hipotensão sangüínea. Acredita-se que defenda contra a tuberculose, que evite distúrbios digestivos, estados depressivos e resfriamentos. Devido a sua grande ação sobre a tireóide e tensão sangüínea, deve ser evitado pelos que sofram de hipertireoidismo e hipertensão.
Efeitos psíquicos. - Já que este exercício estimula a tireóide, a glândula mais influente sobre o temperamento, sobre a inteligência e o comportamento, sua prática propicia mais brilho à inteligência, maior vivacidade para trabalho, e mais brilho ao espírito.

8) Bhastrika.
Seu nome, Bhastrika, em sânscrito significa fole, que bem dá uma idéia de como se processa. As melhores posições para a prática são as sentadas - padmâsana ou lótus e sadhâsana, podendo também ser feita em pé. Depois da limpeza pulmonar, faz-se puraka (inspiração) e a seguir uma explosiva rechaka (expiração), mediante a contração brusca da musculatura respiratória. Sem demora, outra puraka e imediatamente outro rechaka. E assim 11 movimentos energéticos do diafragma e do abdômen com seus respectivos rechakas e purakas. O último puraka é seguido de um kumbhaka que leva aproximadamente 12 segundos, durante os quais mantém-se jalandhara-bandha ou chave de queixo. Segue-se suave rechaka final de 6 segundos.
Os músculos abdominais e o diafragma atuam energicamente, movimentando a base dos pulmões. O exercício é muito semelhante ao kapalabhati, com a diferença de que lá, apenas a expulsão do ar é energética. Aqui também a inspiração o é.
É boa dosagem, em cada sessão, três "voltas" de onze movimentos cada.
Como se trata de um dos exercícios mais fortes, portanto capaz de provocar danos no praticante imprudente e abusado, é recomendável que o evitem: a) pessoas enfermas e fracas; b) jovens de menos de dezoito anos; e c) pessoas além dos 50. Para os que já têm grande prática, o limite de idade não será este, naturalmente. Todo abuso e violência devem ser evitados. Moderação, suavidade, gradação nunca são demasiados. Ao menor sinal de fadiga, pare e relaxe, fazendo a respiração abdominal.
Benefícios terapêuticos. - Purifica todo o organismo e tem especial ação tônica sobre o sistema nervoso e aparelho circulatório. Aumenta o apetite. Atenua irritação e inflamação das vias respiratórias. Moderada e corretamente usado, tem até curado asma. Com verdadeiro super abastecimento energético, corrige os efeitos do frio, levando calor a todo o corpo. Os que sofrem de pés e mãos frios lucrarão com a pratica de bhastrika.
Benefícios psicológicos. - "Psicologicamente, bhastrika produz um muito notável aprofundamento da consciência. Aumenta a serenidade e o sangue-frio ante qualquer situação e, em sumo grau, fortalece a vontade".


9) Respiração de limpeza
Em pé, os pés uns 30 cm de afastamento, "limpe o pulmão" e faça um puraka completo. A seguir, aperte os lábios de encontro aos dentes, deixando uma fresta estreita na boca. A seguir, com movimentos energéticos sacudidos e curtos dos músculos respiratórios (abdominais, diafragma e entrecostais), force o ar a escapar através da fenda formada com a boca. Se os músculos não fizerem bastante movimento para forçar a passagem do ar, o exercício será inócuo.
Benefícios terapêuticos. - Na opinião de Yesudian ataca as toxinas que se acham no sangue, curando as moléstias crônicas e reforçando nossa imunidade. O ar impuro das salas mal arejadas (cinemas, teatros, estações, ferroviárias) é expulso do pulmão e do sangue. Os males da cabeça, os catarros, a gripe são rapidamente curados. Em épocas de epidemias este exercício é indispensável, pois resguarda o contágio. Neste caso é recomendado praticar três sessões de cinco "voltas" cada dia. É bênção este exercício no caso de envenenamento por gás ou outro agente".
Benefícios mentais. - Acresce-nos a autoconfiança e, segundo Yesudian, é um "triunfo sobre a hipocondria", isto é, sobre a obsedante sensação de estar doente.

10) O Sopro "HA"
É exercício respiratório de finalidade específica. Seu nome não se refere, como poderia parecer, à corrente energética positiva (HA) e sim à maneira de expirar.
Em pé, com as pernas afastadas, olhos fechados, execute uma inspiração completa, levantando concomitantemente os braços esticados para a frente e continue elevando-os até o mais alto que puder. Mantenha um kumbhaka de uns poucos segundos e, a seguir, ao mesmo tempo que energeticamente, abaixe o tronco e os braços relaxados, empurre bruscamente o ar pela boca, de forma a soltar uma quase explosiva sílaba HA (h aspirado, como termo inglês "home"), não pelo aparelho fonador, mas pela passagem forçada e súbita da corrente de ar. Repetir a inspiração da mesma forma indicada, expirando em seguida lentamente pelo nariz. Conserve o pensamento firme sobre os efeitos terapêuticos abaixo indicados.
O mesmo exercício pode ser feito deitado.
Deitado sobre as costas, executar o puraka (inspiração completa) simultaneamente erguendo os braços esticados até atingir o solo para trás da cabeça. Após ligeira retenção, fazer a violenta expiração pela boca forçando o "HA", enquanto com energia voltam os braços a sua posição inicial ao lado do corpo e as pernas flexionam bruscamente até as coxas tocarem o abdômen. Depois de ligeiro repouso, iniciar uma nova inspiração lenta, enquanto os braços estendidos voltam para trás da cabeça e as pernas se esticam verticalmente. O exercício termina com a lenta expiração nasal, com as pernas e os braços retornando a seus primitivos lugares.
Benefícios Físicos. - Limpando completamente as vias respiratórias, refresca a circulação sangüínea. É bom remédio contra resfriados e contra extremidades (pés e mãos) frias.
Benefícios psicológicos. - Oferece uma purificação para depois de termos estado em ambientes sórdidos, passionais, deprimentes, para depois de nos termos contagiado psiquicamente em companhia de pessoas confusas, pessimistas, viciadas, malévolas, finalmente, indivíduos "carregados" de impurezas astrais. Constitui-se um "tiro e queda" contra a depressão e o desânimo.

11) tonificar os nervos.
De pé, pernas e pés juntos, olhos fechados, mente firme, depois de completa limpeza, inicie lento puraka, levando os braços estendidos para a frente, com as palmas das mãos para cima, até atingir a linha dos ombros. Nesta altura deverá ter terminado a inspiração e, então, mantendo kumbhaka (retenção), traga as mãos com punhos cerrados aos ombros, flexionando energética e vivamente os braços. Ainda mantendo a retenção, devolva os braços à posição anterior, no entanto use de uma força tal que os faça tremer, como se estivesse vencendo forte resistência. Tendo flexionado e esticado três vezes seguidas os braços, expire lentamente, deixando-os simultaneamente tombarem, enquanto o corpo relaxado flexiona um pouco para a frente.


12) Sitkari.
Sentado ou em pé, olhos fechados, depois da limpeza, faça a inspiração completa, não pelo nariz, mas pela boca, tendo os dentes cerrados e a língua a eles encostada. O ar varre as bochechas, o céu da boca e a língua, refrescando a mucosa e enxugando a saliva. Depois de curto kumbhaka, proceda ao rechaka, pelo nariz. Uma "volta" consta de cinco respirações.
Benefícios fisiológicos. - Concorre para melhorar a resistência ao calor e atenua a sensação de fome e de sede.
Efeito psíquico. - Combate a insônia.


13) Sitali.
Sentado ou em pé, olhos fechados para melhorar concentração mental, feita a "limpeza", inspire pela boca, tendo os dentes semi cerrados e entre eles a língua formando uma calha; faça um curto kumbhaka e termine expirando normalmente pelas narinas. Depois de uma "volta" de dez respirações, você se terá livrado da desagradável sensação de garganta seca, melhorará de sua rouquidão e terá varrido a mucosidade das amídalas.



14) Suryabhada-kumbhaka.
Trata-se de um sukha-purvak modificado em proveito de resultados especiais. Depois de cada inspiração, passe a língua na fase posterior dos dentes, recolhendo a saliva que deve ser deglutida. Segundo Langue "esta deglutição mobiliza a musculatura da laringe e, após a expiração, possibilita eliminar o ar estomacal". Conforme o mesmo autor, depois de "voltas"de seis exercícios, a temperatura do corpo sobe sensivelmente, por isso é este pranayama especialmente indicado para a luta contra o frio. É igualmente eficaz contra aerofogia (flatulência).
Contentemo-nos com a variedade de exercícios acima ensinados, já que nossa finalidade não é ainda o Yoga avançado. Alguns deles, com finalidades específicas, podem ser praticados fora da sessão diária de Hatha Yoga. Constituem uma espécie de farmácia e, como no caso de uma farmácia, devemos tomar a sério a necessidade de usar sabiamente aquilo de que precisamos, para que não tomemos veneno pensando que se trata de remédio. Atenda às recomendações e jamais se esqueça de que suavidade é a característica principal do Yoga.
Não se aventure a fazer os exercícios finais sem que tenha antes atingido o completo domínio dos primeiros.


15) Chakra pranayama = respiratório para ativar os chakras


a) inspirar normalmente, e na expiração, entoar o bíja respectivo de cada chakra principal: do básico para o coronário: LAM, VAM, RAM, YAM, HAM, ÔM.
* Repetir cada bíja 2 vezes cada, depois 3 vezes cada, até 6 vezes cada, sempre nesta seqüência. Em postura para meditação.


16) Sukha Purvaka (respiração alternada com bioritmo)


Inspire profundamente pela narina esquerda, depois retenha a respiração sem fazer força e a seguir expire lentamente pela narina direita. Agora, inspire pela narina direita, retenha a respiração e máximo que puder fazê-lo confortavelmente e depois expire pela narina esquerda. Utilize o bioritmo 1:4:2
podendo aumentar gradativamente para 16:64:32.


17) Shavásana Pránáyama


Deite-se de costas. Relaxe o corpo e a mente. Inspire profundamente e retenha a respiração sem fazer força e expire lentamente. Repita OM mentalmente enquanto estiver inspirando, retendo a respiração e expirando.
Você se sentirá como novo.


18) Tonificação dos Nervos
De pé, com as pernas afastadas na largura de um ombro, expire. Agora, inspire elevando os braços a frente até a altura dos ombros. Cerre os punhos com força.


Mantendo os pulmões pleno de ar, contraia os braços com vigor, trazendo os punhos de encontro aos ombros três vezes. Quando levar os braços para frente para depois contrair, leve os braços resistindo como se estivesse que vencer uma grande resistência contrária ao movimento. Fazer devagar e com grande esforço
até a ponto de tremer. Ao expirar, baixe os braços afrouxando-os e deixando cair suavemente.


Aumenta a resistência do sistema nervoso. Dá segurança interior e aumenta as faculdades mentais.



Maria Elisete Shalom...

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Tarô de Crowley- ESTUDO DA CARTA II. A SACERDOTISA




Esta carta se refere à letra Gimel, que significa camelo (o simbolismo do camelo é elucidado na seqüência).



A referência da carta é à Lua.



A Lua (sendo o símbolo feminino geral, o símbolo da segunda ordem correspondendo ao Sol como o yoni corresponde ao lingam) é universal e vai do mais alto ao mais baixo.



Trata-se de um símbolo que reaparecerá freqüentemente nestes hieróglifos.



Mas nos primeiros trunfos a concorrência é com a natureza abaixo do Abismo;



A Alta Sacerdotisa é a primeira carta que liga a Tríade Superior com a Héxade, e seu caminho, como é mostrado no diagrama, produz uma conexão direta entre o Pai em seu aspecto mais elevado e o Filho em sua manifestação mais perfeita.



Este caminho está em equilíbrio exato no Pilar do Meio. Há aqui, portanto, a mais pura e mais exaltada concepção da Lua (no outro extremo da escala está o Atu XVIII, q. v.).



A carta representa a forma mais espiritual de Ísis, a virgem eterna, a Ártemis dos gregos.



Ela está trajada tão-somente do véu brilhante de luz.



É importante para a alta iniciação considerar a Luz não como a perfeita manifestação do Espírito Eterno, mas, preferivelmente, como o véu que oculta este Espírito.



Ela assim o faz sumamente efetiva devido ao seu brilho incomparavelmente deslumbrante.



Assim ela é luz e o corpo de luz. Ela é a verdade atrás do véu de luz. Ela é a alma de luz.



Sobre os joelhos dela está o arco de Ártemis, que é também um instrumento musical pois ela é caçadora e caça por encantamento.



Agora que se considere esta idéia como a partir de detrás do Véu de Luz, o terceiro Véu do nada original.



Esta luz é o mênstruo da manifestação, a deusa Nuit, a possibilidade da Forma.



Esta manifestação primeira e maximamente espiritual do feminino toma para si um correlativo masculino ao formular em si mesma qualquer ponto geométrico a partir do qual se contempla a possibilidade.



Esta deusa virginal é então potencialmente a deusa da fertilidade. Ela é a idéia por trás de toda a forma; logo que a influência da tríade desce abaixo do Abismo ocorre a conclusão da idéia concreta.



A tradição das melhores escolas do misticismo hindu possui um paralelismo preciso.



O obstáculo final à Iluminação plena é exatamente esta Visão de Efulgência Amorfa.



Os capítulos seguintes, de The Book of Lies (falsely so-called), pode auxiliar o estudante a compreender essa doutrina por meio de meditação:



** O Livro das Mentiras (falsamente assim chamado) (NT).





DIABOS DE PÓ





No Vento da mente, nasce a turbulência chamada Eu.

Ele rompe; inunda os pensamentos estéreis.



Toda vida é sufocada.



Este deserto é o Abismo onde está o Universo.



As Estrelas são apenas cardos nesta aridez.



Contudo, este deserto é apenas um lugar amaldiçoado num mundo de glória.



Agora e novamente, Viajantes cruzam o deserto; eles vêm do Grande Mar, e para o Grande Mar eles vão.



Enquanto caminham, eles derramam água; um dia eles irrigarão o deserto, até que floresça.



Vê! cinco pegadas de um Camelo! V.V.V.V.V.



No fundo da carta, há figuras nascentes, cristais, sementes, simbolizando o início da vida.



No meio, está o Camelo que é mencionado no capítulo cotado acima.



Nesta carta, está a ligação entre os mundos arquetípico e criativo.



Considerou-se este caminho, até aqui, pelo fato de ele descer direto da Coroa;



mas para o Aspirante, ou melhor,

para o Adepto que já está em Tipharet,

tendo alcançado o Conhecimento e Conversação do Sagrado Anjo Guardião,

este é o caminho que leva para cima;

e esta carta, em um sistema chamada de

“A Princesa da Estrela Prateada”,

simboliza o pensamento

(melhor: a radiância inteligível) do Anjo.



Em resumo, este é um símbolo da mais alta iniciação.



Mas é uma condição da iniciação que suas chaves sejam comunicadas, por aqueles que as possuem, para todos os verdadeiros aspirantes.



Esta carta é, portanto, um glifo muito peculiar do trabalho da A\A\ Uma idéia dessa fórmula é dada neste outro capítulo do Livro das Mentiras:



A OSTRA



Os Irmãos da A\A\são um com a Mãe da Criança.



Os Muitos são adoráveis ao Um, como o Um o é para os Muitos.



Este é o Amor Destes; criação-parto é a Glória do Um; coito-dissolução é a Glória

de Muitos.



O Todo, assim combinado com Estes, é Glória.

Nada está além da Glória.



O Homem delicia-se ao unir-se com a Mulher; a Mulher em parir uma

Criança.



Os Irmãos da A\A\são Mulheres:

os Aspirantes à A\A\são Homens.





É importante refletir que esta carta é inteiramente feminina, inteiramente virginal pois representa a influência e o meio de manifestação (ou, de baixo, de obtenção) em si mesma.



Representa possibilidade em seu segundo estágio sem qualquer começo de consumação.



Cumpre observar, em particular, que as três letras consecutivas, Gimel, Daleth e Hé (Atu II, III, XVII) exibem o símbolo feminino (Yin) sob três formas compondo a Deusa Tri-una.



Esta trindade é imediatamente seguida pelos três Pais correspondentes e complementares, Vau, Tzaddi, Yod (Atu IV, V, IX).



Os trunfos 0 e I são hermafroditas.


Os catorze trunfos restantes representam estas Quintessências Primordiais do Ser em conjunção, função ou manifestação.



Shalom...

MÃE DIVINA





Minha mãe minha rainha
Foi ela que me entregou
Para mim ser jardineiro
No jardim de belas flores
No jardim de belas flores
Tem tudo que procurar
Tem primor e tem beleza
Tem tudo que Deus me dá
Todo mundo recebe
As flores que vêm de lá
Mas ninguém presta atenção
Ninguém sabe aproveitar
Para zelar este jardim
Precisa muita atenção
Que as flores são muito fina(s)
E não podem cair no chão
O jardim de belas flores
Precisa sempre aguar
Com as prece(s) e os carinhos
Ao nosso pai universal

- Mestre Irineu-






OM - BHUR BHUVA SWAH
TAT SAVITUR VARENAYAM
BHARGO DEVASYA DHIMAHI
DHIYO YO NAH PRACHODAYAT

Em um mundo melhor,
a lei natural é a do amor.
Em uma pessoa melhor,
sua natureza também é amorosa.
O amor é o princípio
que cria e sustenta as relações humanas,
O amor espiritual leva ao silêncio,
e esse silêncio tem o poder de unir,
orientar e liberar as pessoas.
E mais, quando o seu amor é aliado à fé,
cria uma forte estrutura para a iniciativa e a ação.
Lembre-se: o amor é um catalisador para mudanças,
desenvolvimento e conquistas.

Por Brahma Kumaris






Encontre mais músicas como esta em Portal Arco Íris-Núcleo de Integração e Cura Cósmica