Pesquisa

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Senhora do Silêncio



Senhora do Silêncio

Mãe do Silêncio e da Humildade,

tu vives perdida e encontrada no mar sem fundo do Mistério do Senhor.

Tu és disponibilidade e receptividade. 

Tu és fecundidade e plenitude. 

Tu é atenção e solicitude pelos irmãos. 

Estás revestida de fortaleza. 

Resplandecem em ti a maturidade humana e a elegância espiritual. 

És senhora de ti mesma antes de ser nossa Senhora.

Em ti não existe dispersão. 

Em um ato simples e total, tua alma, toda imóvel, está paralisada e identificada com o senhor. 

Estás dentro de Deus e Deus dentro de ti. 

O mistério total te envolve e te penetra e te possui, ocupa e integra todo o teu ser.

Parece que em ti tudo ficou parado tudo se identificou contigo: 

O tempo, o espaço a palavra, a música, o silêncio, a mulher, Deus. 

Tudo ficou assumido em ti, e divinizado.

Jamais se viu figura humana de tamanha doçura 

nem se voltará a ver nesta Terra uma mulher tão inefavelmente evocadora.

Entretanto, o teu silêncio não é ausência mas presença. 

Estás abismada no senhor e ao mesmo tempo nos irmãos, como em Caná. 

A comunicação nunca é tão profunda como quando não se diz nada 

e o silêncio nuca é tão eloqüente como quando nada se comunica.

Faz-nos compreender que o silêncio não é desinteresse pelos irmãos, 

mas fonte de energia e irradiação; 

não é encolhimento, mas projeção. 

Faz-nos compreender que, para derramar, é preciso preencher-se.

Afoga-se o mundo no mar da dispersão, e não é possível amar os irmãos com um coração disperso. 

Faz-nos compreender que o apostolado sem silêncio é alienação, 

e que o silêncio sem apostolado é comodidade.

Envolve-nos em teu manto de silêncio e comunica-nos a fortaleza de tua fé, 

a altura de tua Esperança e a profundidade do teu Amor.

Fica com os que ficam e vem com os que partem.

Ó mãe admirável do silêncio !

Inácio Larranaga




Maria Elisete 
Shalom...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

MÃE DIVINA





Minha mãe minha rainha
Foi ela que me entregou
Para mim ser jardineiro
No jardim de belas flores
No jardim de belas flores
Tem tudo que procurar
Tem primor e tem beleza
Tem tudo que Deus me dá
Todo mundo recebe
As flores que vêm de lá
Mas ninguém presta atenção
Ninguém sabe aproveitar
Para zelar este jardim
Precisa muita atenção
Que as flores são muito fina(s)
E não podem cair no chão
O jardim de belas flores
Precisa sempre aguar
Com as prece(s) e os carinhos
Ao nosso pai universal

- Mestre Irineu-






OM - BHUR BHUVA SWAH
TAT SAVITUR VARENAYAM
BHARGO DEVASYA DHIMAHI
DHIYO YO NAH PRACHODAYAT

Em um mundo melhor,
a lei natural é a do amor.
Em uma pessoa melhor,
sua natureza também é amorosa.
O amor é o princípio
que cria e sustenta as relações humanas,
O amor espiritual leva ao silêncio,
e esse silêncio tem o poder de unir,
orientar e liberar as pessoas.
E mais, quando o seu amor é aliado à fé,
cria uma forte estrutura para a iniciativa e a ação.
Lembre-se: o amor é um catalisador para mudanças,
desenvolvimento e conquistas.

Por Brahma Kumaris






Encontre mais músicas como esta em Portal Arco Íris-Núcleo de Integração e Cura Cósmica